Opinião

Estacionamento na Baixa

Estacionar na Baixa de Luanda, principalmente na área da Mutamba, já se tornou um problema, perante o olhar silencioso da Polícia Nacional e Serviços de Fiscalização do Governo da Provincial de Luanda (GPL). Afinal, existe ou não autoridade na província de Luanda?

Não se justifica que adolescentes e adultos a seu bel prazer coloquem barricadas nos locais de estacionamentos para fazer cobrança de valores que variam entre os 250 e 500 kwanzas.
Quando o automobilista ousa não pagar pode sofrer represálias, traduzidas em danos à sua viatura e em ofensas corporais. As senhoras são as principais vítimas desses indivíduos que se acham no direito de privar espaços para estacionamento de viaturas na Baixa de Luanda.
Nesta quarta-feira, 8 de Novembro, observei uma rixa entre um automobilista e um adolescente na Rua Major Kanhangulo (ex- rua Direita de Luanda), que se recusava a pagar o valor de 250 kwanzas pelo estacionamento junto à stand de viaturas Mitsubishi. O cidadão quase ficava sem um dos vidros do carro.
A situação está a preocupar muitos automobilistas com parcos recursos financeiros. Não se pode permitir que os automobilistas sejam obrigados a pagar o estacionamento por pessoas que eu considero meliantes. É preciso travar estas práticas que tiram sossego aos automobilistas. O estacionamento de viaturas é gratuito. Este problema assiste-se em toda a cidade.
Até guardas de empresas de segurança privada colocam cones em locais públicos de estacionamento de viaturas, para amealharem alguns tostões. Se não pagares, eles, os guardas, não se responsabilizam pelos danos causados à sua viatura. Será que esses guardas não vêem os actos de vandalismo contra as viaturas estacionadas? Os Serviços de Fiscalização e a Polícia Nacional conseguiram terminar com a lavagem de viaturas na via pública.
Deviam também pôr um fim a este tipo de práticas na Baixa de Luanda e noutras zonas. As transgressões são feitas perante a passividade das autoridades. As leis do país devem ser respeitadas por todos os cidadãos. Tenho esperança de que as nossas autoridades, que têm muitos problemas por resolver,vão prestar atenção à situação que acima expus.
temos  de viver com ordem. Um país  constrói-se com respeito pelas leis.  Deve-se acabar com anarquia, para bem de toda a comunidade .Um pequeno grupo de pessoas não deve  estar a perturbar a paz social.
Armanda Filisberto | Sambizanga

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia