Opinião

Falta de água

Vivo na comuna do Rangel, beneficio de água canalizada, a chamada “água do chinês”, e escrevo para o Jornal de Angola para falar sobre este precioso líquido que não sai da torneira desde há um mês.

É água de má qualidade a que é  transportada pelas cisternas de viaturas em mau estado técnico, embora a água da torneira não o seja inversamente a 100 por cento. O pior em tudo isso é que a EPAL não informa absolutamente nada sobre o que se passa, sobre as razões dessa falta de água e quando vão repor. Vivemos num Estado de Direito em que todas as acções das instituições e das pessoas devem pautar-se pelo que determinam as leis. Eu pergunto: é legal esse procedimento da EPAL de não explicar o que se passa para que a comuna do Rangel fique sem água? Não se coloca a questão do pagamento porque, como se sabe, desde a instalação da canalização, as famílias nunca foram notificadas para, junto dos balcões da EPAL, efectuarem os contratos. Diz-se que se deve aguardar, mas em minha opinião não é sustentável que se forneça água sem que o consumidor pague. 

Lourenço Silva | Sangue Fúria

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia