Opinião

Merenda escolar

Tomei conhecimento de que se quer implementar um programa de distribuição de merenda escolar em escolas com produtos locais. A ideia é interessante. Importa agora que se pense nas melhores vias para se concretizar o referido programa.

As experiências do passado, quanto à distribuição de merenda escolar, pelo menos em Luanda, não foram positivas. Era importante que se estudasse bem o assunto para que a distribuição de merenda escolar chegue de facto a quem dela necessita. As perguntas que muitas pessoas fazem são as seguintes: quem vai fazer a distribuição da merenda com produtos locais? Será que há empresas em todas as províncias vocacionadas para a distribuição de refeições feitas com produtos locais às escolas? A haver empresas para distribuição de refeições, que se façam concursos públicos para se escolherem as melhores empresas. Que não se cometam mais os erros do passado. Havia gente no passado que criava empresas para fazerem negócios com o Estado, mas estas não tinham capacidade para honrar os seus compromissos. Que o dinheiro do Estado seja desta vez bem gasto. Alimentação é coisa séria. Não se deve adjudicar a distribuição de merenda escolar a amadores ou a pessoas que só querem ganhar sem terem conhecimento sobre uma matéria que deve envolver especialistas. É urgente que as nossas crianças das escolas públicas tenham merenda, para que tenham bom aproveitamento e para que se evitem desistências das aulas.
Elisa Panzo |Marçal

 

Tratamento de documentos
Não sei por que razão em Angola é ainda muito difícil tratar documentos. Estamos independentes há mais de quarenta anos e já devíamos ter instituições eficientes para atender o público com celeridade. Há ainda muitos milhões de angolanos sem bilhete de identidade, e o que intriga é o facto de muitos estrangeiros que vivem na nossa terra poderem tratar documentos nacionais. É preciso que as instituições cumpram os prazos para entrega dos documentos aos cidadãos que muitas vezes têm de acordar de madrugada para estarem numa fila para os tratar. As instituições queixam-se de que os cidadãos não vão à busca dos seus documentos, mas acontece que as pessoas vão a certas instituições muitas vezes para receber os seus documentos sem sucesso e depois desistem de os ir buscar. Pode haver esquemas montados propositadamente para complicar a vida dos cidadãos que têm documentos por receber, com o objectivo de obrigá-los a dar "gasosas". Soube de casos de pessoas que não puderam concorrer para empregos, por falta de Bilhete de Identidade, ou de estudantes que perderam bolsas de estudo porque os certificados não foram passados em tempo oportuno.
Jacinto Augusto |Cassequel


Formação profissional
É importante que os jovens se interessem também pela formação profissional, fazendo cursos de pouca duração. Há competências e habilidades profissionais que são muito procuradas por empregadores. Um país não vive apenas de cursos universitários.
Eva João|Cazenga

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia