Opinião

O toque da dikanza

Muitos instrumentos musicais deixaram de ser tocados porque boa parte dos exímios praticantes também se encontram inactivos. Outros faleceram e deixaram como legado os seus ensinamentos.

A morte do mais velho “Fontinhas” encerra um ciclo, no que ao uso da dikanza o conhecido “reco-reco” diz respeito.
Embora nos seus últimos dias não tocasse mais a dikanza, por razões de saúde, o antigo percussionista do Ngola Ritmos constituía a referência incontornável.
É verdade que cantores como o Bonga continuam a usar a dikanza, mas o futuro do uso contínuo deste instrumento na música angolana parece claramente ensombrado. A esperança reside num dos poucos cantores que parece ter recebido bem o legado dos seus predecessores. Trata-se de Yuri da Cunha, em cujas mãos, segundo o que noto, está bem entregue a continuação da dikanza como um importante instrumento da música angolana.
Hoje, muitas bandas são formadas e não se dá tanta ênfase em instrumentos  musicais tradicionais.É preciso ensinar  os  jovens  a  tocar  instrumentos  tradicionais. E se pensássemos  numa escola  para   se  ensinar  a tocar esses instrumentos?

Jorge Lima | Caxito

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia