Citações

Citações

Ele é o escritor de quem se fala nos “novos meios literários caluanda”, nos lugares que só os jovens vão, naqueles encontros só entre eles ou, também, nas páginas das redes sociais que eles frequentam, mas, nós vamos lá espreitar. Não é o único da sua geração, eles despontam devagar e bem.

Adriano Mixinge

Mais Citações

  • 1. Breves considerações A presente reflexão resulta de uma preocupação pessoal, profissional e de responsabilidade social, pois, não podemos estar perenes diante dos vários fenómenos que o País e, em particular, a cidade de Luanda tem assistido quanto ao abuso sexual de crianças e adolescentes por indivíduos do tecido familiar e extrafamiliar, ademais, fomos motivados por uma matéria publicada no Jornal de Angola, na Edição nº 16109, do dia 10 de Setembro do ano em curso, na página 27, sob manchete “Pai retira queixa-crime contra violadores da filha” (apesar deste caso em particular não se tratar de abuso de menores, vamos associá-lo, primeiro porque trata-se, também, de um abuso sexual e, em segundo plano, para esclarecimento de ordem jurídica e social).

    Oswaldo Kapinâla |*

  • A Covid-19 gerou graves problemas económicos em todo o mundo, estando os governos, com maior ou menor dificuldade, a envidar esforços, desde o início da crise sanitária, no sentido de evitar que a pandemia paralise por completo a actividade económica.

  • Quando Barack Obama foi eleito Presidente dos Estados Unidos da América, em 2008, não ficou apenas na história pela sua condição de negro e afrodescendente. Obama gerou uma grande “audácia da esperança” um pouco por todo o mundo. As enchentes num célebre comício em Berlim, onde juntou cerca de 250 mil pessoas, são disso testemunho. Esse entusiasmo foi sentido um pouco por todo o lado, mais ainda em África, mormente entre os africanos que viam nele a esperança também para a resolução dos seus problemas.

    Adebayo Vunge

  • A apresentação do valor de 24 mil milhões de dólares, como somatório dos desvios efectuados pela corrupção no nosso país, deveria marcar o fim da primeira fase do combate iniciado pelo Presidente da República. Estamos a falar de um valor superior à dívida para com a China; superior em 1,15 milhões de dólares ao OGE; equivalente a sete anos de salários da Função Pública ou ainda a duas vezes mais do que todo o serviço da dívida do país. O país esteve à saque. Não tinham razão nenhuma as críticas dirigidas a João Lourenço por eventuais perseguições aos seus antigos amigos e camaradas ou contra a prioridade absoluta dada ao combate à corrupção. Revelado o valor roubado, há um primeiro round no qual o Presidente sai claramente vitorioso depois de, praticamente sozinho, ter empreendido uma luta intestina contra o sistema. A corrupção endémica desviou para bolsos privados dinheiro de serviços essenciais; tornou ineficiente o emprego dos recursos públicos e consagrou a corrupção como forma de poder.

    Ismael Mateus

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia