Citações

Citações

“Recebi o ministro das Relações Exteriores de Angola num momento auspicioso para o relacionamento entre os nossos países com o retomar das visitas  de alto  nível; a minha visita a Angola renovará o dinamismo dos laços que unem Portugal  e Angola, os nossos  povos e  empresas.”
António Costa  | Primeiro  Ministro de Portugal   


“É notório e reconfortante  constatar que temos um ramo em franco desenvolvimento e  modernização.”
Egídio de Sousa | Chefe do Estado-Maior General das FAA, em mensagem dirigida à Marinha de Guerra de Guerra


“Não tenhamos ilusões  em relação à qualidade de ensino e ao desenvolvimento do país; se as autoridades, que devem velar pela melhoria da qualidade de ensino, continuarem a querer nivelar por baixo e a criar facilidades aos  amigos e protegidos, não vamos a lado algum.”
Paulo de  Carvalho | Sociólogo e professor universitário


“O ultrapassado sistema de 'numerus clausus' permite que sejam admitidos candidatos com notas negativas ou com positivas muito baixas.”
Victor Kajibanga | Sociólogo e professor universitário


“Se juntar divisas com calma, certamente que se consegue  comprar um carro usado por metade do preço, mas as dificuldades seriam maiores se fosse para importação de uma viatura totalmente nova.”
José Severino | Presidente da Associação Industrial Angolana

Mais Citações

  • “Se antes o investidor tinha de juntar a documentação e dar entrada no consulado para obter o visto, hoje, com a nova Lei, apenas dá entrada do processo na APIEX (Agência para a Promoção de Investimentos e Exportações de Angola)”
    Gil Famoso Director-geral do Serviço de Migração e Estrangeiros (SME)  


    A aviação civil é regida pela Convenção de Chicago de 1944, pelo que somos obrigados a transpor para o nosso quadro legal aquilo que são as suas disposições. Precisamos de adequar o nosso quadro normativo nacional
    Ricardo de Abreu - Ministro dos Transportes  


    Já existe um programa aprovado pelo Presidente da República para angariar fundos para os parques, transformando-os em unidades de gestão independentes acopladas ao Instituto Nacional da Biodiversidade e Áreas de Conservação
    Paula Coelho  - Ministra do Ambiente  


    Os bancos comerciais, hoje, atribuíram responsabilidades a profissionais bancários competentes e disciplinados para evitar casos de fraude na gestão da moeda estrangeira
    Amílcar Silva - Presidente  da Associação Angolana de Bancos (ABANC)   



  • Um avião russo foi derrubado, há dias, no teatro da guerra, na Síria. “A culpa é de Israel e iremos retaliar”. Reagiram, de imediato, os russos, entre as avaliações inerentes para identificar o autor do derrube da aeronave, dentre as forças militares dos países, em presença no conflito que perdura pouco mais de cinco anos, na conturbada região do Médio Oriente.

    Eduardo Beny

  • Os anos 60 representaram para a grande maioria dos povos africanos a chegada do “admirável mundo novo” com o advento das independências e da formação de Estados soberanos.

    Sebastião Vinte Cinco |*

  • Transição no MPLA
    Depois da efectivação do modo de transição ao nível do partido no poder e atendendo ao sucesso do acto vale dizer que foi um exemplo para África em particular e para o mundo em geral. Não é todos os dias que assistimos aqui no nosso continente experiências iguais como a assistida no dia oito de Setembro em que José Eduardo dos Santos cedeu o ceptro a João Lourenço na liderança do MPLA.
    As gerações mais novas terão aprendido muito com este processo e, na verdade, inclusive as outras formações políticas também fizeram um aprendizado significativo.
    Numa altura em que partidos  como a FNLA, com as devidas desculpas por citar esta formação política, vive problemas graves do topo à base, a experiência do MPLA devia modestamente servir de exemplo.

    André de Barros| Cazenga


    Estado das estradas
    Há dias, ocorreu um debate sobre o papel das estradas no processo de escoamento da produção, promovido por uma das associações empresariais, em Luanda. Recordo que uma intervenção centralizou-se mais na necessidade que as famílias, detentoras de empreendimentos agrícolas de pequena e média dimensão, enfrentam para escoar os seus produtos.
    No fundo, se há um projecto sério para se acabar com a pobreza e desemprego, urge repararmos as estradas, erguer novas vias porque a mobilidade humana e de bens constitui um factor de desenvolvimento.
    Na verdade, os trabalhadores que laboram neste sector se empenham muito e com os resultados que notamos. Basta olharmos para os resultados da produção em muitas localidades do país fica exposta e muitas vezes condicionada aos meios de transporte para os grandes centros de comercialização e de consumo.
    Não podemos continuar com o paradoxo de algumas famílias passarem dificuldades para a subsistência e ao mesmo tempo largas quantidades de colheita ficarem à mercê do sol, poeira e dos animais.
    As vias de comunicação, as estradas de todos os tipos, constituem  meios sem os quais dificilmente podemos falar em combater a pobreza nas comunidades. Espero que as autoridades, a nível central, estejam por dentro do que realmente se passa em muitas comunidades agrícolas do país para que nos próximos tempos sejamos todos capazes de inverter o actual quadro. Com as estradas em condições, perde-se menos tempo e todos saem a ganhar.

    Mário Correia| Palanca

    Concursos públicos
    Sou funcionário público e acompanho com profunda tristeza o que se passa hoje com  a realização de concursos para ingressar na função pública. Nunca vi nada igual, embora devo dizer que os concursos públicos sejam uma realidade nova.
     Muitos concursos públicos contestados, numerosas denúncias públicas de má condução de concursos, com critérios de aprovação e reprovação que deixa muita gente atónita sobre a seriedade e responsabilidade das entidades envolvidas.
    E como exemplo, apontaria o caso de um dos ministérios que passou a consentir  a aprovação com dez valores, mas que depois tais valores não permitiram a real anuência no concurso.
     Acho que está na hora das autoridades intervirem para salvaguardar a credibilidade e imagem do Estado.

    Áurea Lopes |Lobito  

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia