Citações

Citações

“Um cidadão que, por exemplo resida no Kilamba, pode concorrer em Viana, onde eventualmente cresceu”
Adão de Almeida | Ministro da Administração do Território e Reforma do Estado a propósito das Eleições Autárquicas

“A Spirulina é um produto certificado internacionalmente, afigura-se como defensor do sistema imunológico do ser humano, ao mesmo tempo que estimula o alto rendimento desportivo e assegura o crescimento sadio das crianças, esperando-se, por isso, o envolvimento da sociedade
na sua produção, comercialização e consumo”
Carlos Martinó Cordeiro | Secretário de Estado das Pescas

“A nossa visão passa por uma vertente solidária, gestão participativa e mais próxima dos associados, caminhando lado a lado com estes na busca constante da satisfação e do bem-estar”
Zeca Moreno | No acto de apresentação da sua candidatura à presidência da Comissão Directiva da União Nacional dos Artistas e Compositores - Sociedade de Autores (UNAC-SA). 

Mais Citações

  • “É preciso recuperar as vias secundárias e terciárias no mais curto espaço de tempo. Luanda precisa de mais escapatórias
    Adriano Mendes de Carvalho - Governador provincial de Luanda

    “Sendo a CASA-CE uma coligação para fins eleitorais e actividades políticas conexas, não pode esta estrutura ser uma individualidade distinta dos partidos que a integram, pelo que deve haver uma adequação dos estatutos ao Acordo Constitutivo da Coligação e à Lei dos Partidos Políticos”
    Comunicação do Tribunal Constitucional

    A minha interrogação é a coincidência da distinção simultânea feita quer ao fundador da Nação, como ao actual líder do partido, que dentro de algumas semanas cessa as funções como presidente do MPLA
    Miguel Nzau Puna - Membro do Comité Central do MPLA



    “O sector privado deve beneficiar significativamente das reformas estruturais e do empenho do Governo no aumento da concorrência no mercado interno
    Avaliação do Fundo Monetário Internacional (FMI)

    Perdemos um  bom cidadão, diplomata refinado e humanista  que marcou o continente. (...) Pela primeira vez  na História, um homem negro da África Subsaariana  dirigiu as Nações Unidas e foi respeitado por todos
    João Pinto - Quarto vice-presidente do grupo parlamentar do MPLA, em reacção à morte do Kofi Annan, antigo  Secretário-Geral da ONU  

    Saúdo o Presidente João Lourenço por conduzir com sucesso  a agenda  da paz e segurança  da nossa  região.  A paz e  a segurança  devem ser mantidas para se criar um ambiente  propício à integração regional”
    Hage  Geingob - Presidente da Namíbia 

  • A História de Angola está a ser feita por protagonistas, em Angola, em África e no mundo, de distintas sensibilidades da sociedade e, como sempre, cabe aos estudiosos fazer o devido acompanhamento  do antes para a colocar preto no branco no papel.

    Faustino Henrique

  • A recente garantia dada pelo Presidente da República, João Lourenço, ao líder da oposição, Isaías Samakuva, sobre a exumação e inumação dos restos mortais do fundador da UNITA, Jonas Savimbi, ainda este ano, representa um sinal claro de que os compromissos assumidos e reiterados pelo TPE, perante o povo angolano aquando da sua investidura, são para serem levados a sério.

    Eduardo Magalhães | *

  • Entretenimento na TV
    Os programas de entretenimento das televisões angolanas estão a contribuir para entreter, educar e formar uma larga franja da população, sobretudo as crianças. Embora não falte quem critique, naturalmente como não podia deixar de ser, em todo o caso, vale sempre enaltecer o esforço que grande parte dos profissionais faz para levar aos ecrãs da televisão o melhor.
    Uma das coisas que deixa reconfortado, relativamente à principal ementa dos programas de entretenimento, é saber que as televisões nacionais tendem a dar primazia ao que é nacional. Sei que muitos canais nacionais de televisão nacionais de África limitam-se a reproduzir programas das suas congéneres fora do continente.
    Quando dou conta de que 80 a 90 por cento do conteúdo dos programas de entretenimento são essencialmente nacionais, tenho razões para regozijo. E independentemente das falhas ou eventuais insuficiências das nossas estações de televisão, não há dúvidas de que estão no bom caminho e que com mais trabalho vão conseguir fazer constar os seus nomes junto dos grandes canais. 

    António Tchifuxi| Saurimo

    Basquetebol nacional
    Sou adepto do nosso basquetebol e escrevo pela primeira vez para o Jornal de Angola para abordar a situação do nosso desporto ligado à bola ao cesto, numa altura em que numerosas interrogações se levantam sobre a presença e metodologia de trabalho do actual técnico contratado pela Federação Angolana de Basquetebol (FAB).
    Segundo algumas vozes, o americano contratado para dirigir a selecção nacional sénior masculina de basquetebol não pisou ainda o solo angolano para, de facto, trabalhar aqui. Teve algumas situações que o forçaram a manter-se distante de Angola, compreensivelmente os angolanos entenderam que fosse normal a ausência do treinador.
    Mas passadas largas semanas longe de Angola, parece não fazer sentido que o técnico da selecção nacional pretenda trabalhar à distância, como o acusam os comentaristas e órgãos de comunicação social.
    Atendendo à experiência que teve com a Nigéria, que o mesmo dirigiu à distância, muitos não hesitam em especular que Will Voigt parece pretender trazer para Angola a mesma experiência. Ou seja, treinar à distância do país em que vivem os jogadores, uma  possibilidade que não se  conjuga com a realidade angolana. Contrariamente a países cujos jogadores da selecção residem no estrangeiro, sendo alguns  mesmo naturais, não faz sentido que o treinador tente manter-se distante.

    Cláudio Figueiredo| Rangel


    Ocultismo em Angola
    Há dias, a Rádio MFM promoveu um debate sobre o ocultismo, feitiçaria e práticas similares em que foram convidados distintas figuras. Acho que o Estado devia regular a actividade ligada ao ocultismo e práticas análogas, embora muitos possam contrariar com alegações segundo as quais “essas coisas de feitiçaria” não existem.
    Muitos alegam que o feitiço não existe, mas segundo a Bíblia ela, de facto, existe e não precisa de ser encarada como uma área do saber. Para mim, no fundo, o feitiço é apenas uma área do saber  que não está ao alcance de todos, razão das especulações que gera.  O importante é que as pessoas percebam bem  o que é o ocultismo, as suas consequências e tomem a melhor decisão na hora de lidar  ou não com essas práticas que fazem parte das nossas tradições.

    Vitória de Veigas|Bungo 


Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia