Citações

Citações

Estive em Toronto, uma cidade que é cercada pelo lago de águas doces que tem o tamanho de quase um oceano. Há vinte anos escrevi um poema sobre esse lago. Sempre penso que quando o mundo secar, por conta do sol abrasivo e do nosso desleixo ambiental, os seus lençóis de água pura manterão com vida essa cidade. Na verdade, será o último lugar da terra com água e flores. Durante a minha viagem familiar, fiquei deveras impressionado com as conversas mantidas com o meu neto, o Tcheize. Ele tem 10 anos, mas já se dá conta dos meandros da política governativa. Sempre que eu procurasse elogiar Toronto, seu encanto e nível de segurança, por andarmos até tarde e em qualquer lugar, ele, num instante, apoiado em argumentos fortes, desfazia a minha boa impressão. De forma muito cirúrgica, argumentava que o senhor Primeiro-Ministro só sabe viajar e que esse dinheiro todo, bem somado, enquanto “grande desperdício”, poderia servir para melhorar o ensino e a saúde, “áreas que perderam peso orçamental”, explicou.

Adriano Botelho de Vasconcelos

Mais Citações

  • “Num momento em que o país muito fala da necessidade da luta contra a corrupção, nepotismo e de outras práticas lesivas ao interesse público, é normal que contemos com o trabalho de instituições como a Inspecção Geral da Administração do Estado, Ministério Público, o Serviço de Investigação Criminal e a Polícia, de uma forma geral” João Lourenço Presidente da República

  • Na intervenção a zungueira dos legumes é uma mulher de armas. Bonita quanto jovem mãe pode ser e lhe permite o dia-a-dia ao sol e à chuva, a galgar quilómetros atrás do carrinho-de-mão, que empurra, acompanhada do megafone: “Pergunta na minha carro-de-mão.

    Osvaldo Gonçalves

  • Subdivididos em três painéis, nomeadamente “Música e Teatro” com Ndaka Yo Wini, Analtino Santos e Francisco Makiesse, “Literatura e Cinema” com Cíntia Gonçalves e Jorge Cohen, e “Artes Plásticas, Fotografia e Banda Desenhada” com Paulo Airosa, Chilala Moco e Francisco Van-Dúnem, o Memorial Dr. António Agostinho Neto (MAAN) organizou, entre 14 e 16 de Agosto, as “Conversas em torno do estado da Arte em Angola”.

    Adriano Mixinge

  • Vivo nos Munlevos, sou viúva e gostaria que a minha carta cheguasse ao espaço concebido para os leitores. Escrevo pela primeira vez para o Jornal de Angola e pretendo começar por cumprimentar os jornalistas em geral desta importante casa de jornalismo.

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia