Opinião

O Conselho Económico e Social, a crise e os quadros nacionais

O Presidente da República, João Lourenço, tem dado sinais de que está inteiramente disponível para ouvir a sociedade para a resolução dos grandes problemas do país.

Ao criar o Conselho Económico e Social de que fazem parte quarenta e cinco membros de diferentes sectores da sociedade e com elevado conhecimento em diferentes áreas do saber, o Presidente da República quis mostrar que conta com a sociedade para a construção de uma Angola em que todos possam viver com dignidade.
O país vive uma grave crise económica e social, e faz sentido que o Presidente da República queira, nestes momentos difíceis da vida da Nação, ouvir quadros angolanos de elevada craveira profissional e académica para o aconselhar em muitas matérias, para poder decidir sobre assuntos relevantes da vida nacional.
O Conselho Económico e Social, recentemente criado, constitui um marco importante na vida da Nação, porque ele pode ser um instrumento importante para melhorar muita coisa no país.
É verdade que as opiniões dos conselheiros não vinculam o Presidente da República, não sendo este obrigado a segui-las, mas certamente o Chefe de Estado levará em conta, quando tiver de tomar decisões, os pontos de vista dos membros do Conselho Económico e Social.
O Presidente João Lourenço tem hoje mais um órgão de consulta para poder ponderar quando tiver de tomar decisões importantes no domínio económico e social, e foi bom que o Chefe de Estado tivesse a ideia de criar o referido Conselho em tempo de crise, que gerou problemas complexos, para cujas soluções é necessária a contribuição de quadros altamente qualificados e de angolanos com larga experiência em diferentes áreas da actividade empresarial.
João Lourenço fez questão de realçar, referindo-se aos membros do Conselho Económico e Social, que "juntos descobriremos as oportunidades que se escondem por detrás do que aparenta só serem dificuldades. Descobriremos juntos as formas de criar riqueza e acabar com a pobreza. Exorto-vos pois a construirmos juntos a Angola próspera que almejamos."
Estas palavras do Presidente da República deixam claramente a entender que o Chefe de Estado precisa da sabedoria dos que estão no Conselho para se partir para transformações efectivas, no sentido de os angolanos poderem viver com melhor qualidade de vida.
O facto de no Conselho Económico e Social estarem quadros com experiências diversas e com conhecimento profundo da nossa realidade diz bem da intenção do Presidente João Lourenço de saber do que se passa no país e de encontrar soluções que possam resolver efectivamente os problemas das populações.

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia