Opinião

O tráfico de pessoas no mundo e a cooperação entre os Estados

O tráfico de pessoas no mundo é um problema que preocupa muitos Estados e organizações internacionais. Os Estados e organizações internacionais concentram esforços na descoberta do modus operandi das redes de tráfico de pessoas no mundo, para poderem neutralizá-las e evitar que milhares de seres humanos sirvam de fonte de enriquecimento de criminosos.

Vários Estados têm consciência de que é necessária uma coordenação mais sofisticada entre si para combater o tráfico de pessoas, tendo em conta que aqueles que cometem esse crime fazem recurso a métodos sofisticados para iludir as autoridades de diferentes países.
O facto do crime de tráfico de pessoas afectar muitos países de diferentes continentes, torna imperioso que os Estados se dotem, não só de legislação para combater as redes criminosas, mas também de eficientes serviços policiais e de inteligência para conter um mal que causa muito sofrimento a um elevado número de seres humanos de vários continentes. As redes criminosas que se dedicam ao tráfico de seres humanos precisam de ser desencorajadas a praticar acções que atentam contra a dignidade da pessoa humana.
O problema do tráfico de pessoas está identificado e sabe-se da sua gravidade e dimensão, pelo que cabe aos países dos diferentes continentes mobilizar meios financeiros e humanos, para fazer face a um fenómeno complexo, que exige a conjugação de conhecimentos e experiências dos diferentes Estados.
São muitos os países interessados em combater o tráfico de seres humanos, mas importa que haja acções concretas e bem coordenadas dos Estados. É uma boa notícia o facto de dez países europeus e africanos terem decidido recentemente cooperar mais estreitamente para travar o desenvolvimento de redes de tráfico de migrantes que beneficiam economicamente das milhares de pessoas que tentam alcançar a Europa.
É verdade que não é fácil combater o tráfico de seres humanos, mas se houver vontade política por parte dos Estados para um combate coordenado e sem tréguas a redes criminosas, havemos de assistir a bons resultados no futuro. A união entre os Estados, neste combate, pode fazer a força e salvar muitas vidas humanas.

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia