Opinião

Os políticos e os conflitos em África

Hoje , 25 de Maio, é o Dia de África. A África é ainda, e infelizmente, um continente com muitos e complexos problemas de ordem política, económica e social. Um grande número de países africanos alcançou a independência nos anos 60 do século XX, mas, passados mais de cinquenta anos desde que vários povos do continente se libertaram do colonialismo, não se verificam grandes progressos, havendo casos de crises humanitárias graves, decorrentes de conflitos armados para os quais não se consegue encontrar solução.

Quando nós, africanos, devíamos estar apenas a discutir, depois de muitos anos de independência, questões sobre os rumos a seguir para o desenvolvimento do continente, estamos ainda a braços com crises que consomem muito tempo e esforços , muitas vezes infrutíferos, estando ainda organizações regionais do continente permanentemente centradas em problemas que têm a ver com a segurança e a estabilidade.
Mas nós, africanos, não temos outra saída. Se não tratarmos dos problemas da segurança e da estabilidade no continente, não poderemos avançar para a construção de sociedades em que se possa trabalhar para o progresso. Um conflito num país africano pode repercutir-se sob diversas formas noutros Estados de uma mesma região, pelo que, sendo os problemas de segurança transversais, importa que haja esforços conjuntos no sentido de acabarmos com as guerras num continente que tem tudo para proporcionar aos seus povos bem-estar.
A África é um continente com muitos recursos naturais, devendo os políticos africanos empenhar-se na busca das melhores soluções para os problemas que afectam ainda vários Estados. Os povos africanos esperam dos políticos do continente atitudes que vão no sentido de se acabar definitivamente com a instabilidade, que afecta muitos milhões de pessoas, havendo poucos recursos financeiros para atender simultaneamente a muitas crises humanitárias em África.
Perante os vários e complexos problemas que a África ainda enfrenta, os filhos de África, em particular os políticos, devem assumir uma postura que vá no sentido da resolução dos problemas do continente. É preciso abdicar definitivamente do uso da violência para a resolução dos problemas políticos. O uso permanente da força só agrava ainda mais os problemas de África.
Mas em África não existem só conflitos armados. Há também bons exemplos de estabilidade. Há países africanos que, depois de viverem situações de guerra, conseguiram construir a paz e hoje estão envolvidos em processos de consolidação das suas democracias. Que estes bons exemplos sejam seguidos por países que têm dificuldade em enveredar por processos de pacificação e reconciliação. Os conflitos armados causam muito sofrimento. É hora de se parar com as guerras e de se partir para a construção de uma África próspera.

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia