Opinião

Os serviços públicos e a riqueza do país

A preocupação pelo melhoramento dos serviços públicos deve  ser  permanente. Nunca devemos desistir de criar  procedimentos administrativos  que  reduzam a excessiva  burocracia,  para  que os serviços públicos  possam  de facto servir convenientemente as populações.

Os cidadãos do nosso país são cada vez mais exigentes  e desejam que o Estado preste  bons serviços. Importa que à frente dos nossos serviços públicos estejam pessoas que sejam realmente capazes de corresponder ás exigências das populações.
Que  sejam os melhores quadros a dirigir os serviços públicos. É necessário que se acabe definitivamente com o nepotismo pelos muitos problemas causados ao país. Muitos serviços públicos funcionam  mal, porque não são dirigidos por aqueles  cidadãos que realmente têm competência  para o efeito. Há ainda a tendência de preferirmos nomear ou indicar para cargos públicos, os nossos amigos e  familiares. É preciso acabar com este estado de coisas.
Há quem pense  que há  angolanos “especiais” que estão destinados a ocupar sempre os cargos de chefia, mesmo que sejam incompetentes e que tenham como única vocação o  desvio  de dinheiros  públicos .
Há angolanos que meteram na cabeça que só podem servir o país se forem chefes, mesmo que  não tenham capacidade para liderar  ou para defender o interesse público. Que se ponha termo a este ciclo de nomeações de pessoas sem mérito, para  que se inicie a promoção daqueles angolanos patriotas que vivem exclusivamente do seu salário e que não  prejudicam o povo.
Assistimos no passado ao furto de muitos milhões de dólares  pertencentes ao Estado  e  hoje passamos por dificuldades enormes, devido também a uma fase em que desviar fundos públicos para benefício pessoal de uma minoria de angolanos era permitido, com as consequências negativas para a vida da maioria dos angolanos.
Angola  está  a entrar  numa era  em que  se pretende acabar com a impunidade daqueles que pensavam que  estavam acima da lei  e que podiam fazer tudo o que quisessem. Que  os  actuais governantes não desistam de trabalhar  para que Angola seja  um país  em que impere a justiça  social. Todos os angolanos têm direito a viver com dignidade. A riqueza de Angola deve beneficiar todos os angolanos  e não apenas uma minoria  de cidadãos. Continuamos a ter esperança de que tudo  vai ser feito pelo actual Governo  para que se  acabe com a pobreza extrema, que é geradora  de outros problemas sociais.

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia