Opinião

Projectos de governação com garantias do Executivo

A visita de trabalho ao Uíge por parte do Presidente da República, um exercício de presidência aberta e de acompanhamento da governação “in loco”, constitui um desempenho que se recomenda e se impõe.

A vastidão do território nacional impõe, naturalmente, a quem governa, o acompanhamento permanente, numa altura em que as exigências em termos sociais e económicos requerem respostas eficazes e céleres. 
As visitas às províncias, onde, além da presidência das reuniões do Conselho de Ministros, realiza várias actividades de campo, enquadram-se nos esforços para a materialização do seu programa de Governo. É preciso que os auxiliares e colaboradores do Mais Alto Magistrado da Nação compreendam e imprimam a mesma dinâmica, a nível local, com deslocações e trabalhos de campo nos municípios, comunas, aldeias e povoações.
Governar e administrar exigem, da parte dos detentores de cargos públicos, medidas que reflictam também o lado participativo da população. Numa altura como esta, em que a população espera mais das suas autoridades em termos de materialização das suas agendas, é preciso que se reforce o laço entre governantes e governados. A interacção e o fortalecimento dessa relação, quando bem aproveitados por ambos os lados, são fundamentais quer para o sucesso da governação, quer para a efectivação do bem-estar da população. E nada melhor do que chegar junto das localidades e da população para as quais é dirigida a acção governativa, tal como se propõe o Presidente da República, cumprindo uma das promessas do seu mandato.
No Uíge, João Lourenço e a equipa ministerial que o acompanhou foram testemunhar o andamento da execução dos principais projectos sociais em curso no país à luz do Programa de Investimento Público (PIP) de 2018, com alguma particularidade para as recomendações deixadas, relacionadas com projectos do PIP nas províncias do Uíge, Zaire, Malanje e Cuanza-Norte.
Com a visita de trabalho ao Uíge, o Presidente da República foi também e, fundamentalmente, assegurar que a materialização dos principais projectos de governação para todo o país tem a garantia do seu Executivo. Mas vai ser, fundamentalmente,  com o trabalho e o empenho de cada um de nós que seremos bem sucedidos a erradicar os indicadores sociais que preocupam e assegurar o bem-estar de cada família. Com a acção governativa, o Executivo garante fazer a sua parte, como tem feito, sendo igualmente expectável que cada um ali onde estiver arregace as mangas para que se efective as garantias da agenda do Presidente da República no processo de implementação do programa de governo.

Tempo

você e o jornal de angola

PARTICIPE

Escreva ao Jornal de Angola.

enviar carta

Multimédia