Política

Angola defende aposta na formação profissional

Edna Dala | Nairobi

O Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, afirmou ontem, em Nairobi, que os objectivos de desenvolvimento humano, político, económico e social não serão plenamente alcançados se não se colocar no topo das prioridades da agenda do grupo África, Caraíbas e Pacífico (ACP) a educação, a formação profissional e tecnológica dos jovens e das mulheres, envolvendo todos os Estados-membros e parceiros.

Vice-Presidente da República pediu aos Estados-membros a manterem a unidade e encarar juntos os desafios da actualidade
Fotografia: Edições Novembro

“Vivemos um momento complexo da actual conjuntura mundial, marcada pela desaceleração da economia global, alterações climáticas catastróficas, tensão comercial entre os Estados Unidos e a China, com reflexos directos nas economias dos nossos países e pelo aproximar do desfecho do Brexit, com implicações esperadas nas relações entre a Europa e os seus parceiros, incluindo o Grupo de países ACP”, disse Bornito de Sousa, ao discursar na sessão da tarde da 9ª Cimeira dos Chefes de Estado e de Governo do grupo ACP, que termina hoje.

Acrescentou que “é neste contexto que o Grupo abraça uma agenda de transformação e mudança, com a revisão do Acordo de Georgetown”.
Segundo o Vice-Presidente da República, Angola vê a eleição do secretário-geral da ACP como motivo de orgulho e regozijo, mas também de grande responsabilidade. “O Dr. Georges Chikoti tem experiência, conhecimento e, ouso mesmo dizer, tem o perfil ideal para essa missão, pois, além das qualidades individuais, tem o apoio pleno e incondicional do Governo de Angola para as linhas de força da sua plataforma e os propósitos do Grupo ACP, em particular na implementação de uma agenda por um multilateralismo proactivo e focado em resultados”.
Bornito de Sousa destacou que ao se adoptar a Declaração de Nairobi, na 9ª Cimeira ACP, os Estados-membros devem estar imbuídos do espírito de unidade, atacando um a um os desafios comuns como as alterações climáticas, o de-semprego, a fome e a pobreza, a paz, estabilidade e prosperidade, assim como a industrialização e a criação de um quadro de maiores e me-lhores oportunidades com ganhos partilhados.

Mensagem do PR
Ainda ontem, Bornito de Sousa foi recebido em audiência pelo Presidente do Quénia, Uhuru Kenyatta, durante a qual entregou uma mensagem do Presidente João Lourenço ao homólogo queniano.
À imprensa, Bornito de Sousa destacou a necessidade de incremento das relações entre os dois países em áreas que podem merecer destaque e vantagens bilaterais, nomeadamente no sector dos Transportes, Turismo, Educação, Saúde e Agricultura.
O Vice-Presidente disse que o Quénia tem igualmente interesse em colher as experiências de Angola, com destaque para o sector dos Petróleos.
Com a audiência, sublinhou, foram lançadas as bases e alguns passos que vão ser dados em breve.
Na sessão de abertura, o Presidente do Quénia, Uhuru Kenyatta, destacou a adopção do acordo revisto de Georgetown pelos Países da ACP, que vai conferir maior dinâmica, visão e melhorar a gestão do grupo.
Uhuru Kenyatta sublinhou que “devemos reconsiderar e adoptar o acordo nas nossas agendas locais, porque vai ajudar a melhorar os programas e acções para conferir outro dinamismo às relações e cooperação com outros povos”.
O estadista, que ontem assumiu a presidência do grupo ACP por um período de três anos, defendeu igualmente a necessidade de se trabalhar na criação de políticas e planos económicos para a comercialização dos produtos básicos e não só de África nos países membros.
Os representantes das Nações Unidas, da União Eu-ropeia e da ACP de cada re-gião defenderam a implementação de mudanças no grupo, para proteger e transformá-lo na primeira organização do futuro.
Os líderes dos 79 países do grupo ACP estão a discutir o programa de reformas e estratégias de cooperação para uma boa governação em matéria de paz e segurança, mudanças climáticas, governação dos oceanos, luta contra o terrorismo, extremismo violento e estratégias para a sua erradicação.

Tempo

Multimédia