Política

Angola participa na reunião sobre a Camada de Ozono

A ministra do Ambiente, Paula Francisco Coelho, participa, desde segunda-feira, em Quito, capital do Equador, na 30ª Reunião das Partes do Protocolo de Montreal sobre as Substâncias Destruidoras da Camada de Ozono. 

Ministra do Ambiente, Paula Coelho, está na cidade de Quito
Fotografia: João Gomes|Edições Novembro

Um documento do Ministério do Ambiente, enviado ontem ao Jornal de Angola, informa que na reunião, que termina amanhã, os 197 países signatários vão apresentar um balanço do cumprimento do Protocolo de Montreal.
O documento lembra que as acções desenvolvidas, no âmbito do Protocolo de Montreal, resultaram na redução de 98 por cento do consumo mundial das substâncias destruidoras da camada de ozono.
“Desde que começou a monitorização do ozono estratosférico foi identificada pela primeira vez, em 2016, a diminuição do tamanho do buraco da camada de ozono sobre a Antártica que, há décadas, apresentava um aumento gradual a cada nova medição”, lê-se no documento.
Na agenda da reunião de Quito consta, além de outros temas, a discussão da emenda de Kigali ao Protocolo de Montreal, de questões relacionadas com a eficiência energética e a proposta de ajuste do Protocolo de Montreal relativo aos hidroclorofluorcarbonos, emissões inesperadas de Triclorofluormetano (CFC-11) e considerações dos membros dos órgãos do Protocolo de Montreal para 2019.
O Protocolo de Montreal, de acordo com o documento, protege e recupera, há cerca de três décadas, a camada de ozono por meio da eliminação progressiva das substâncias que a destroem.
As substâncias destruidoras da camada de ozono são usadas em diversos sectores, como na produção de espumas, na agricultura, para a desinfecção do solo (controlo de pragas) e em vários processos industriais.
Para o cumprimento do Protocolo de Montreal, An-gola constituiu a Unidade Nacional do Ozono, em 2001, e desenvolveu o Programa Nacional de Eliminação Progressiva das Substâncias Destruidoras da Camada de Ozono, com o apoio do Fun-do Multilateral.
Angola implementou, com êxito, o Programa Nacional de Eliminação Progressiva dos Clorofluorcarbonos, que resultou na total eliminação dos fluidos refrigerantes pertencentes à família dos Clorofluorcarbonos no sector de refrigeração e ar condicionado.
O país realizou campanhas de sensibilização pública, montou laboratórios de no-vas técnicas de refrigeração e ar condicionado e formou técnicos para garantir o seu funcionamento.
Um grupo de trabalho de apoio à Unidade Nacional do Ozono implementa, em todas as províncias, desde 2011, o Programa Nacional de eliminação Progressiva dos Hidroclorofluorcarbonos.
Devido ao seu desempenho, Angola foi eleita presidente da 23ª Reunião das Partes do Protocolo de Montreal em Novembro de 2011, na cidade de Bali, Indonésia, na 24ª Reunião das Partes do Protocolo de Montreal em Novembro de 2012.
Além disso, presidiu ao seminário de Alto Nível em alusão ao 25º aniversário do Protocolo de Montreal em Genebra,  Suíça, e foi eleita vice-presidente da Convenção de Viena, em representação de África, na 26ª Reunião das Partes do Protocolo de Montreal, em Novembro de 2014, em Paris, França.

Tempo

Multimédia