Política

"AngoSat" é lançado em Dezembro deste ano

O ministro das Telecomunicações e das Tecnologias de Informação confirmou ontem o lançamento em Dezembro deste ano do satélite AngoSat-1, construído para Angola.

Ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha
Fotografia: Mota Ambrósio|Edições Novembro


Em entrevista à Rádio Luanda, a propósito dos benefícios do primeiro satélite angolano, José Carvalho da Rocha disse que o projecto AngoSat-1 foi construído para Angola, por meio do foguete transportador ucraniano Zenit, a partir do cosmódromo Baikonur, no Cazaquistão.
A título de exemplo, das múltiplas utilidades que o AngoSat-1 oferecerá, os ministérios das Telecomunicações e das Tecnologias de Informação e da Saúde realizaram, há 15 dias, entre as cidades de Luanda e Bengo, exames médicos com recurso à telemedicina, com vista a acudir as áreas com carência de médicos de especialidade.
Este serviço, esclareceu, terá uma abrangência territorial quando o AngoSat-1 entrar em funcionamento. Por enquanto, o projecto-piloto abarcou o Hospital Américo Boavida (Luanda) e um centro médico município de Pangu Aluquém, na província do Bengo.
Neste processo, acrescentou o ministro, o especialista do Américo Boavida fez uma consulta de ortopedia a um paciente do centro médico de Pango Aluquém. Estas e outras iniciativas serão uma realidade quando o AngoSat-1 entrar em órbita. O satélite AngoSat-1, construído para Angola, será lançado no dia 7 de Dezembro, por meio do foguete transportador ucraniano Zenit, a partir do cosmódromo Baikonur, no Cazaquistão – de acordo com anúncio da agência de notícias russa Sputnik, citando Yevgeny Mikrin, director de designer da Corporação Energética de Míssil e Espaço.
Para a Sputnik, na sua versão online, o lançamento do primeiro satélite angolano foi adiado muitas vezes. Inicialmente, planificava-se lançá-lo ao espaço neste Verão – do hemisfério norte (Junho a Agosto); depois, a data do lançamento foi remarcada para Setembro e, posteriormente, para Outubro, Novembro e, finalmente, Dezembro.
Em Setembro último, peritos angolanos deslocaram-se à Rússia para acertar os termos e a data final para o lançamento do satélite que se esperava antes do final deste ano. “O lançamento do satélite AngoSat-1, construído pela Corporação Energética de Míssil e Espaço em conformidade com os interesses de Angola, está programado para o dia 7 de Dezembro”, disse Mikrin.
O projecto AngoSat-1 está a ser executado desde 2012. No âmbito do programa, foi construído um satélite equipado com transmissor. O próximo passo é enviá-lo para a órbita terrestre.
O centro de controlo e missão de satélites do AngoSat-1 encontra-se na comuna da Funda, norte da província de Luanda. Como satélite geoestacionário artificial, o AngoSat-1 está a uma distância de 36 mil quilómetros a partir do nível do mar. A sua velocidade coincide com o da rotação da terra e consegue cobrir um terço do globo terrestre.
O AngoSat-1, construído na Rússia e com uma vida últil de 15 anos, pesa 10.055 quilogramas, sendo 262.4 quilogramas de carga útil. Ficará na posição orbital 14.5 E e terá uma potência de 3.753 W, na banda CKu, com 16C+6Ku repetidores. O satélite angolano vai possuir um centro primário de controlo e missão em Angola e outro secundário na Rússia.
Além do Angosat, o país tem igualmente um outro projecto no sector das telecomunicações. Trata-se do cabo submarino de fibra óptica, que vai ligar Luanda ao estado de Ceará, no Brasil, e que visa a melhoria e redução de custos no acesso aos serviços das telecomunicações no país.
O projecto entra em funcionamento em Julho do próximo ano e Angola passará a ser o primeiro país a ligar a África e América do Sul por via do Oceano Atlântico.

Tempo

Multimédia