Política

Antigos guerrilheiros pedem requalificação

Antigos guerrilheiros do MPLA no Huambo pedem a reabilitação urgente dos outrora Centros de Instrução Revolucionária (CIR), a fim de servirem à cultura e à sociedade, pela sua importância na formação e no despertar da consciência revolucionária dos angolanos.

Em visita ao CIR Kwenha, nos arredores da cidade do Huambo, os antigos guerrilheiros do MPLA consideram que estes centros podem servir de pontos de visita para os turistas locais, nacionais e estrangeiros que queiram conhecer um pouco mais da história recente de Angola e por via disso os valorizar mais e rentabilizá-los.
O chefe de departamento do Património Cultural da Direcção Provincial da Cultura, João Afonso, defendeu a necessidade de se perservarem os locais que no passado serviram para despertar a consciência revolucionária do povo e que hoje podem servir de testemunho para as novas gerações. “Houve necessidade de recorrer á  história e, aqui, no primeiro Centro de Instrução, o CIR Comandante Kwenha, vemos a nossa história, a nossa cultura, por isso o passo a seguir será a requalificação destes locais e a sua delimitação. É preciso distinguir o guerrilheiro do antigo combatente”, disse. João Afonso disse ser importante preservar o arquivo histórico para esclarecer as novas gerações o que aconteceu no país antes e depois da nossa Independência Nacional.
Pelos CIR, passaram muitos guerrilheiros e estes locais provam o que foi a história recente do país por terem acolhido, durante meses e anos, guerrilheiros que hoje são dirigentes das Forças Armadas e de outros sectores da vida nacional.  “Por aqui, passaram coronéis, brigadeiros, capitães, sargentos e tantos outros dirigentes. A história está aqui. Apelamos aos estudantes que realizam as suas monografias de fim de curso a visitarem estes lugares e a fazerem pesquisas”, sublinhou João Afonso.

Tempo

Multimédia