Política

Anunciada redução do Comité Central

Bernardino Manje

A FNLA aprovou, por unanimidade, a proposta de redução do número de membros do Comité Central de 411 para 221.

Lucas Ngonda , presidente da FNLA, orientou encontro
Fotografia: Eduardo Pedro|Edições Novembro

Esta é uma das decisões da IV reunião ordinária do Comité Central do partido fundado por Holden Roberto, encerrada nesta segunda-feira, em Luanda, depois de três dias de acesos debates.
As alterações aos estatutos devem agora ser postas à apreciação e votação dos delegados ao Congresso Extraordinário do partido, convocado para o período entre 22 e 26 de Maio do presente ano.
O secretário para a Informação da FNLA, Jerónimo Makano, justificou a necessidade de redução do núme-ro de membros do Comité Central com a actual conjuntura económica e financeira e, sobretudo, com o fac-
to de muitos membros au-sentarem-se das actividades agendadas.
“Somos 411 membros, mas a maior parte de nós não aparece e nem sabemos a sua localização. São dados como desistentes, mas a desistência não é confirmada desta maneira. É preciso escrever uma carta dirigida ao Comité Central a manifestar o desejo de desistência”, sustentou Makano, em declarações ontem ao Jornal de Angola.
Durante a reunião, orientada pelo presidente da FNLA, Lucas Ngonda, foi igualmente feita a apresentação do relatório de actividades do partido e do relatório financeiro de 2017, reflexões sobre os resultados nas eleições de 23 de Agosto e uma análise da actual conjuntura política nacional e internacional.
Os membros do Comité Central da FNLA analisaram a proposta do Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2018, cuja aprovação final global acontece hoje na Assembleia Nacional. Instaram o Executivo a acelerar a criação de condições para a realização das eleições autárquicas, que deverá passar também pela aprovação, no Parlamento, de um pacote legislativo referente às autarquias.
O partido é a quarta força da oposição parlamentar, tendo conseguido eleger apenas um deputado nas eleições gerais de 2017. O assento parlamentar é ocupado pelo próprio presidente, Lucas Ngonda.

Tempo

Multimédia