Política

Cadeia de Cacanda na Lunda-Norte está superlotada

O estabelecimento prisional de Cacanda, na província da Lunda-Norte, com capacidade para apenas 480 reclusos, encontra-se sobrelotado com 578 presos, entre nacionais e estrangeiros, afirmou ontem o director local dos Serviços Prisionais, José Lucala.

Cadeia de Cacanda na Lunda-Norte está superlotada
Fotografia: DR

Em declarações à imprensa, à propósito da reintegração social dos reclusos, José Lucala sublinhou que do referido número 302 prisioneiros são condenados e 276 estão na condição de detidos, mas descartou a existência de excesso de prisão preventiva na instituição prisional.

Quanto à reintegração, disse estarem, de momento, 92 reclusos inseridos em programas de alfabetização, formação profissional (na área de Informática) e na actividade agrícola, visando manter o sustento depois de soltos.

O director dos Serviços Prisionais na Lunda-Norte referiu-se, ainda, à existência de um pavilhão de artes e ofícios no estabelecimento prisional, que a partir de 17 de Setembro aumenta as opções de formação nas áreas de serralharia, electricidade e carpintaria.

Recentemente foram soltos 171 reclusos, no âmbito das medidas de prevenção e combate à Covid-19, mas ainda assim o estabelecimento regista 98 presos além da sua capacidade, numa altura em que se debate com a escassez de água, o que dificulta a lavagem frequente das mãos para prevenção da doença.

Tempo

Multimédia