Política

Cobertura das eleições em análise

Responsáveis e jornalistas dos órgãos de comunicação social fizeram ontem o balanço da cobertura jornalística da campanha eleitoral, visando o pleito do próximo dia 23.

Ministro orientou a reunião que decorreu em Luanda
Fotografia: Contreiras Pipa | Edições Novembro

Além dos administradores das empresas públicas de comunicação social, participaram na reunião, promovida pelo Ministério da Comunicação Social, em parceria com o Gabinete de Revitalização e Execução da Comunicação Institucional e Marketing da Administração (GRECIMA), directores provinciais do sector das regiões Norte (Luanda, Bengo, Zaire, Cabinda, Uíge, Cuanza-Norte e Malanje) e Leste (Lunda- Norte, Moxico e Lunda- Sul) do país.
Os participantes garantiram o pluralismo no tratamneto das matérias durante a campanha eleitoral. O director nacional de Comunicação Social, Rui Vasco, considerou positiva a cobertura da campanha eleitoral das seis formações políticas concorrentes às eleições gerais de 23.
Rui Vasco disse ser notório o empenho e a disponibilidade dos profissionais engajados de modo isento e louvável. Rui Vasco disse não existirem reclamações oficiais de partidos quanto aos tempos de antena.
O director nacional de Comunicação Social referiu que a Rádio Nacional de Angola (RNA) e a Televisão Pública de Angola (TPA) têm, inclusive, recebido e divulgado os tempos, mesmo quando são entregues tardiamente. Encontro similar está previsto para a próxima quarta-feira, em Benguela, com responsáveis da Comunicação Social das regiões Centro e Sul de Angola.

 

Tempo

Multimédia