Política

Coerência do Presidente reconhecida por políticos

João Dias |

Políticos de várias tendências, incluindo da oposição, aplaudem a abertura, coragem e a coerência demonstrada pelo Presidente João Lourenço ao longo dos três meses desde que tomou posse como Chefe de Estado.

Presidente da República conversou com os convidados durante o jantar de cumprimentos de fim de ano
Fotografia: Francisco Bernardo | Edições Novembro

Isaías Samakuva, líder do maior partido da oposição em Angola, disse estar satisfeito com o facto de o Presidente da República insistir, nos seus discursos, desde a investidura, no combate a males como a corrupção. “O país precisa de combater seriamente a corrupção”, afirmou Isaías Samakuva, manifestando algumas reservas, uma vez que, no seu entender, o MPLA tem um discurso que na prática é diferente ao discurso que o Presidente da República está a projectar para o país.
“Esperamos que o Presidente da República seja o único Chefe de Estado que devemos ter nesse país”. Para Samakuva, o importante é que alguns actos que configuram bicefalia terminem com o ano que está prestes a terminar.
O líder do Partido de Renovação Social (PRS), Benedito Daniel, destaca a transição pacífica e espera que este facto traga aquilo que os angolanos sempre esperam. “O Presidente da República propõe reformas, combate à corrupção e à impunidade. Acho que até certo ponto está a tentar responder as preocupações dos angolanos”, disse.
O presidente da FNLA, Lucas Ngonda, lembrou que tudo quanto João Lourenço tem feito “corresponde ao que o país precisa”. “Esperamos actos concretos, pois o país tem muitos problemas por resolver e estamos à espera que todas as questões de interesse nacional sejam concretamente resolvidas”, sublinhou.
O político Lopo do Nascimento, que já foi Primeiro-Ministro e secretário-geral do MPLA, afirma que 2017 foi um bom ano, principalmente pela transição pacífica verificada em 2017. “Muita gente estava preocupada, se a mudança seria calma ou com algum problema. Mas não, foi um bom ano para nós, os angolanos”, disse o político, sublinhando ser natural haver incompreensões.
“Sempre existiram aquelas pessoas que se queiram aproveitar destas situações”, disse, para acrescentar: “Somos humanos e, por isso, existiram pessoas que pensam que é altura de aproveitar, enquanto outros não. Mas o país continua e é isso que interessa”.
O político Julião Mateus Paulo “Dino Matrosse” afirmou que o Presidente da República está a ser coerente consigo mesmo, pois está a realizar tudo que prometeu. “O Presidente da República está a cuidar daquilo que é positivo e a trabalhar no sentido de acabar com aquilo que é negativo. É o que está a fazer no seu dia-a-dia”, lembrou Dino Matrosse, afastando qualquer roptura no seio do MPLA.
“Pessoas de fora estão a querer criar problemas no partido. Mas o MPLA está coeso e, a prová-lo, está o facto de o Presidente do MPLA, José Eduardo dos Santos, na última reunião do Comité Central, ter encorajado o apoio às iniciativas do Presidente da República.
“Não vejo dilemas no seio do nosso partido. A ruptura é coisa de “pessoas que querem ver contradições entre nós. Há unanimidade e estamos a apoiar o Governo. Não existe nenhum grupo incomodado. Os que estão incomodados estão fora do partido”, garantiu Dino Matrosse, que já foi secretário-geral do MPLA.

Tempo

Multimédia