Política

Comboio retoma ligação entre Luanda e Malange

O recomeço definitivo da ligação ferroviária Luanda/Kwanza-Norte/Malanje acontece hoje, com uma viagem de reinauguração do troço, 18 anos depois de ter sido interrompida devido ao conflito armado.
Uma nota do Caminho-de-Ferro de Luanda refere que a partida do comboio, com uma comitiva do Ministério dos Transporte e do CFL, é, às 5h00, na Estação do Baia, com a chegada a Malanje prevista para 15h45 minutos.

Dezoito anos depois de ter sido interrompida retoma hoje a ligação ferroviária Luanda/Kwanza-Norte/Malange
Fotografia: JA

O recomeço definitivo da ligação ferroviária Luanda/Kwanza-Norte/Malanje acontece hoje, com uma viagem de reinauguração do troço, 18 anos depois de ter sido interrompida devido ao conflito armado.
Uma nota do Caminho-de-Ferro de Luanda refere que a partida do comboio, com uma comitiva do Ministério dos Transporte e do CFL, é, às 5h00, na Estação do Baia, com a chegada a Malanje prevista para 15h45 minutos.
Durante a viagem, a delegação visita as estações de Catete, Zenza do Itombe, Ndalahui (ex-Bela Alta), Luinha, Canhoca, Lucala, Ndalatando, Kizenga, Cambuze, Cacuso, Lombe reconstruídas no âmbito do programa de reabilitação e modernização das infra-estruturas ferroviárias destruídas pela guerra.
As estações, incluindo a de Malange, todas com dois pisos, dispõem de uma área administrativa, restaurante, posto médico, oficinas, casas para os funcionários, área de controlo de linhas e salas para passageiros com capacidade para 200 e 500 pessoas.
Ao longo dos 424 quilómetros do troço, foram criadas três centrais de armazenamento de combustíveis pela Sociedade Nacional de Combustíveis (Sonangol) para facilitar o transporte e reduzir a carência do produto no interior do país.O director provincial dos Transportes, Correios e Telecomunicações de Malange, António de Beça Gaspar, disse, à Angop, que o regresso do comboio à província é um factor de estabilidade económica.
A direcção dos CFL promoveu, em Junho, uma viagem experimental para avaliar as condições para o recomeço das operações comerciais. O Caminho-de-Ferro de Luanda foi inaugurado em 1909, com uma extensão 479 quilómetros, incluindo pequenos ramais.  O retorno do conflito armado em Novembro 1992 originou a morte ou desaparecimento de parte importante do pessoal efectivo do CFL e a destruição total ou parcial de várias pontes, locomotivas e estações. A reabilitação do CFL faz parte dos projectos para o relançamento da economia e desenvolvimento de Angola.

Tempo

Multimédia