Política

Concorrentes às eleições afinam tempos de antena

Adelina Inácio |

As formações políticas concorrentes às eleições gerais MPLA, UNITA, CASA-CE, PRS, FNLA e APN foram informadas sobre as normas de entrega de propaganda, tempos e horários de antena para a campanha eleitoral nos órgãos de comunicação social, num encontro orientado pelo ministro da Comunicação Social, José Luís de Matos.

Ministro da Comunicação Social e o director do GRECIMA durante a reunião com os partidos
Fotografia: Santos Pedro | Edições Novembro

A Televisão Pública de Angola (TPA) e a Rádio Nacional de Angola (RNA) apresentaram também as regras e o formato para entrega dos programas para a campanha.  
A TPA criou um núcleo que vai fazer a recepção dos conteúdos para os tempos de antena dos partidos políticos e coligação de partidos concorrentes. O encontro contou também com a presença do director do Gabinete de Revitalização e Execução da Comunicação Institucional da Administração (GRECIMA), o comissário da Comissão Nacional Eleitoral e os presidentes e administradores dos órgãos de comunicação social públicos e privados.
O ministro da Comunicação Social falou dos desafios impostos aos órgãos durante as eleições. José Luís de Matos garantiu rigor e isenção durante a campanha eleitoral e solicitou maior coordenação dos órgãos de comunicação social. 
Os partidos apresentaram as suas preocupações em relação à cobertura dos órgãos públicos na fase da pré-campanha. Os partidos vão ter apoio técnico no caso de má qualidade de som ou imagem nos conteúdos.
O chefe de Divisão de Informação do Comité Central do MPLA, Anastácio de Brito, garantiu que o MPLA tem os conteúdos preparados para os tempos de antena na rádio e na televisão. Uma equipa está preparada para elaboração dos conteúdos a apresentar ao eleitorado.
Quanto às queixas apresentadas pela oposição em relação ao tempo dado ao MPLA na televisão e na rádio, Anastácio de Brito justificou que o seu partido “não está a começar como muitos partidos. Quando não há disputa eleitoral, os partidos adormecem, mas o MPLA, como tem responsabilidades acrescidas, tem actividades permanentes para a contínua mobilização dos eleitores”, disse.
Ruben Sicato, da UNITA, disse que o seu partido tem preparado os conteúdos a serem utilizados nos tempos de antena e que está preocupado com o tempo que se dá a determinados partidos políticos.
Lindo Bernando Tito, da CASA-CE, pediu tratamento imparcial na forma como tem sido tratada a oposição nos órgãos de comunicação social públicos e alguns privados. Para o político, em democracia, o fundamental é assegurar tratamento igual a todos os concorrentes. 
O secretário nacional para Informação do PRS, Narciso Lungansa, considerou o encontro importante para o exercício democrático e elogiou a iniciava do Ministério da Comunicação Social de ter definido as regras para apresentação dos tempos de antena.  
João da Silva Bengui Pinto, porta-voz da FNLA, adiantou que esta formação política está preparada para cumprir as regras impostas pela comunicação social para apresentação dos conteúdos.
José da Cruz, secretário para Informação da APN, considerou o encontro importante, porque permitiu às formações políticas manterem contactos com os procedimentos a serem observados durante a campanha nos órgãos de comunicação social.
As formações políticas concorrentes às eleições de 23 de Agosto próximo vão ter, como tempo de antena, 10 minutos para a Rádio, no período entre as 15 e as 22h00, e cinco minutos para a televisão no espaço compreendido entre as 18 e as 22h00. A Lei estabelece que, para a campanha a ser desenvolvida pelos candidatos, é necessário um sorteio para definir a ordem que cada candidatura vai ter na organização de distribuição dos tempos de antena. 
Os regulamentos que estabeleceram o sorteio e a forma de distribuição dos tempos de antena foram aprovados pela Comissão Nacional Eleitoral (CNE), em reunião plenária extraordinária.
A porta voz da CNE, Júlia Ferreira, disse, na altura, aos jornalistas que a forma como os partidos políticos concorrentes se vão posicionar na ordem dos tempos de antena para fins eleitorais deve ser sempre feita em conformidade com a lei.  

Tempo

Multimédia