Política

Condição social dos ex-militares leva Liberdade a ouvir familiares

O ministro dos Antigos e Veteranos da Pátria ouviu ontem, em Luanda, as preocupações que afligem os antigos combatentes e os veteranos da pátria nos sectores social e económico.

Ministro João Ernesto dos Santos “Liberdade”
Fotografia: Paulo Mulaza | Edições Novembro

João Ernesto dos Santos  concedeu 30 audiências a antigos combatentes e familiares daqueles que morreram em defesa da pátria, durante as quais transmitiu a vontade e o interesse do Governo em solucionar as necessidades destes cidadãos.
Com o mesmo propósito, João Ernesto dos Santos visitou os projectos habitacionais Calumbo I, II e Cesselo, em Catete, onde procedeu à entrega de três lotes de terreno e duas chaves de residências de tipo T3 à Maria Clementina Borges Francisco (viúva de um antigo combatente) e Miguel Manuel (deficiente visual em consequência da guerra) e uma de T2 a uma viúva cujo marido morreu na altura do massacre de Cesselo, em Icolo e Bengo.
No mês passado, o ministro apontou a melhoria das condições de vida, a reintegração social e económica e a formação profissional e académica dos antigos combatentes como prioridades do sector para os próximos anos. />O programa reserva acções de melhoria das condições de vida dos antigos combatentes e veteranos da pátria e apoio à reintegração socioeconómica dos antigos militares. As acções vão incidir na segurança, melhoria das condições de vida dos antigos combatentes e veteranos da pátria e suas famílias, bem como na promoção de acções de reintegração económica e social de antigos militares de forma especifica, através da formação e capacitação profissional e fomento do empreendedorismo.
Criar mecanismos adicionais de apoio às famílias dos antigos combatentes, veteranos da pátria e antigos militares, de modo a garantir-lhes os meios necessários para a manutenção das condições básicas de vida consta ainda das acções a serem desenvolvidas nos próximos anos.

Tempo

Multimédia