Política

Congresso consolida união dos operadores nacionais

Hélder Jeremias

O primeiro Congresso Nacional sobre Hotelaria e Turismo, iniciado na quinta-feira, em Luanda, encerrou, ontem, com a convergência entre os responsáveis dos diferentes Ministérios quanto à necessidade da eliminação das barreiras que inviabilizam o desenvolvimento da indústria do turismo, bem como a criação de um ambiente para que os investidores nacionais e estrangeiros possam materializar os respectivos projectos.

Ministra Ângela Bragança quando se encaminhava para inaugurar a exposição sobre hotelaria
Fotografia: Alberto Pedro | Edições Novembro

Marcado pela dissertação de especialistas nacionais com elevada experiência na actividade hoteleira, representantes do Ministério do Interior (Polícia Nacional e Serviço de Migração e Estrangeiros), Administração Geral Tributária, Ministério da Energia e Águas, da Banca, entre outras instituições, o encontro culminou com a inauguração da Expohotel, no Centro de Produção da Televisão Púbica de Angola, pela ministra da Hotelaria.
Ângela Bragança, que acabara de regressar da província do Cuando Cubango, onde deu as boas-vindas ao Príncipe Harry, que termina hoje, em Luanda, uma visita de três dias a Angola, deixou transparecer satisfação pelo facto do congresso se ter pautado por um elevado nível organizativo.
Para a ministra, o evento foi mais um sucesso porque coincidiu com a visita, ao país, do Príncipe da Coroa Inglesa, um acontecimento que mereceu destaque internacional e que, na sua óptica, servirá para a promoção da imagem de um país com enorme vontade e potencialidade de se tornar num dos pólos de maior referência do turismo ao nível da região.
“Estamos, cada vez mais, encorajados quanto à aposta do Executivo no sector, em prol da diversificação da economia, e proporcionar milhares de postos de trabalho. A realização, com sucesso, do congresso, da Expo hotel, a vinda do Príncipe Harry da Inglaterra e a presença da representante do país irmão do Índico (Moçambique) são factores que se juntam a todo o esforço gizado para que este desejo de potenciar a indústria do turismo, que representa 10 por cento do emprego mundial, possa ser uma realidade no nosso país”, frisou Ângela Bragança.
Antes do corte da fita da Expohotel, a governante aproveitou para agradecer a presença de outros convidados estrangeiros, com destaque para a moçambicana Tânia Tomé, eleita pelo Mipad Ney York 2018 como uma das personalidades mais influentes afro-descendentes. Com menos de 40 anos, Tânia Tomé é autora do livro “Succenergy, Motivação empresarial e liderança em tempo de crise”.
Acompanhada do secretário de Estado para o Turismo, Alves Primo, altos funcionários do seu pelouro, representantes da Associação de Hotéis e Resorts de Angola, entre outros, Ângela Bragança percorreu todas as áreas da Expohotel, tendo interagido com expositores que exibem, até amanha, produtos nacionais de elevada qualidade, como bens alimentares, têxteis, higiene e ornamentais.
que podem suprir as necessidades de importação para o sector.

Tempo

Multimédia