Controlo fronteiriço reduz as violações


17 de Fevereiro, 2017

Fotografia: Paulo Mulaza|Edições Novembro

O Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) na província do Zaire repatriou 20 cidadãos da República Democrática do Congo (RDC) por entrada e permanência ilegal em território nacional, anunciou ontem a instituição.

De acordo com o porta-voz daquela instituição na província, Domingos Sebastião, os números representam uma diminuição de 22 estrangeiros repatriados em relação à semana anterior onde foram registados 42 cidadãos.
O responsável indicou que o repatriamento foi efectuado através dos postos fronteiriços terrestre do Luvo, município de Mbanza Congo, e fluvial de Kimbumba, no Soyo.
No período em referência, segundo ainda o responsável, o SME interpelou, nos municípios de Mbanza Congo e Nzeto, outros onze cidadãos da RDC por permanência ilegal e 24 por falta de documentação legal para entrada no país.
Na ocasião, o responsável informou que aquela instituição controlou entradas e saídas legais de 932 cidadãos de diversas nacionalidades, incluindo nacionais.
A província do Zaire partilha uma fronteira de 330 quilómetros com a RDC, sendo 180 quilómetros terrestre e 150 quilómetros fluvial, através do rio Zaire

capa do dia

Get Adobe Flash player



ARTIGOS

MULTIMÉDIA