Política

Defendida criação de órgão para sensibilizar cidadãos

A criação de um órgão específico vocacionado para a educação e risco contra as minas e outros engenhos explosivos foi defendida ontem, na cidade do Cuito, província do Bié, pela Comissão Nacional Interministerial de Desminagem e Assistência Social (CNIDAH).

Fotografia: kindala Manuel | Edições Novembro

Em declarações à imprensa, o oficial de telecomunicação e informação do CNIDAH, Ismael Sape, informou que na província do Bié foram registadas no primeiro semestre deste ano cinco mortes com acidentes de minas, números que este ano tendem a duplicar.
As ocorrências foram registadas nos municípios do Cuito (dois casos) e Andulo (três), e as vítimas são na maioria camponeses, lenhadores e caçadores. Na província do Bié foram identificados 192 campos minados.
Ismael Sape disse que as mortes aconteceram, sobretudo, em consequência da paralisação das brigadas de desminagem na província, em meados de ano transacto, sendo a sub-unidade da quarta Brigada a única que parcialmente vai dando seguimento ao processo.
Outro grito de pedido de auxílio foi manifestado pelo comandante da sub-unidade da quarta brigada de desminagem, que solicitou apoios em meios de transporte e logístico para colmatar as dificuldades desta operadora nestes domínios.
Ao longo deste semestre foram recolhidos e destruídos 2.071 engenhos explosivos diversos numa área de 310 hectares no Pólo Industrial do Cunje.
Matias da Costa|Cuito

Tempo

Multimédia