Política

"Dibala" foi a enterrar

Victorino Joaquim |

Os restos mortais do nacionalista Filomeno de Sá “Dibala”, falecido por doença a 12 deste mês, em Luanda, foi a enterrar ontem, no cemitério do Alto das Cruzes, na capital angolana.

Momento de recolhimento durante o funeral do general “Dibala” no Alto das Cruzes
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

Num ambiente de muita dor e consternação, o elogio fúnebre foi lido pelo secretário do Bureau Político do MPLA para as Relações Internacionais, Julião Mateus Paulo “Dino Matrosse”, na presença de familiares, do  presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias Santos, do vice-presidente do MPLA, João Lourenço, do secretário-geral do MPLA, Paulo Cassoma.
Assistiram também ao funeral membros do Executivo, representantes do poder judicial, altas patentes das Forças Armadas Angolanas (FAA), do Ministério do Interior, autoridades tradicionais e religiosas e amigos.
No elogio fúnebre, “Dino Matrosse” considerou o general “Dibala” um “grande combatente” da luta de libertação nacional, que desempenhou com brilho todas as missões de combate, e exortou as novas gerações a seguirem o seu exemplo de patriotismo consubstanciado nos ideais da liberdade e fraternidade.
Por seu turno, instado a tecer algumas considerações sobre o falecido oficial, o presidente da Assembleia Nacional realçou que Filomeno de Sá “Dibala” representou uma geração de jovens que desde muito cedo se entregou à luta pela liberdade e justiça social.
“O general “Dibala” merece o nosso respeito, porque foi disciplinado e incansável na defesa dos melhores ideais do povo angolano”, afirmou Fernando da Piedade Dias Santos. Igualmente, João Lourenço, candidato do MPLA à Chefia do Estado, disse que morte do general “Dibala” é uma “grande perda” para a direcção do partido e das FAA, considerando o malogrado um grande combatente que dedicou toda a sua vida à luta pela independência de Angola. Numa mensagem, os filhos do general “Dibala” caracterizam-no como um homem “simples e humilde”, sempre pronto para ajudar as pessoas.

Biografia

Filomeno de Sá “Dibala” foi uma figura histórica do nacionalismo angolano, que desde muito cedo se engajou na luta pela liberdade  e independência do país. Nascido a 20 de Abril de 1939, na Lunda-Sul, era filho de pai médico e de mãe doméstica, ambos oriundos da cidade de Farim, Guiné-Bissau.
Com 24 anos de idade, fez treinos militares na Argélia, onde conheceu o ex-guerrilheiro internacionalista Ernesto “Ché Guevara”. Partiu depois para a República do Congo, onde, na companhia de Deolinda Rodrigues, fez um curso de instrutor de guerra. O general Filomeno de Sá “Dibala” foi comissário político da segunda Região Político-Militar (Cabinda), na altura comandada pelo patrono da juventude, Hoji ya Henda.

Tempo

Multimédia