Política

Diplomata apresenta desafios do Executivo

A representante permanente de Angola junto dos Escritórios das Nações Unidas em Genebra (Suíça), a embaixadora Margarida Izata, garantiu que o Executivo do Presidente João Lourenço lançou um “amplo e ambicioso” programa de reformas que visam estabilizar políticas macroeconómicas, criando um clima de investimento sólido e combatendo a corrupção.

Fotografia: DR

A diplomata, que falava numa mesa redonda ministerial do Grupo de Países da África, Caraíbas e Pacífico (ACP) sobre investimentos realizada à margem do Fórum Mundial de Investimentos, no Palácio das Nações, reconheceu que o impacto negativo da queda dos preços internacionais do petróleo, em 2014, “demonstrou, uma vez mais, a necessidade de Angola insistir na diversificação económica, a fim de criar resiliência contra a precariedade das suas receitas de exportação e receitas públicas.”
Na sua intervenção, Margarida Izata disse que o Go-verno aprovou e está a implementar, entre outras iniciativas, o Plano de Desenvolvimento Nacional, o Programa de Apoio à Produção Nacional, Promoção de Exportações e Substituição de Importações (Prodesi), a Lei do Investimento Privado, facilitação do regime de atribuição de vistos e a Lei da Concorrência.
A embaixadora agradeceu à CNUCED (Conferência das Nações Unidas sobre o Comércio e Desenvolvimento) pela graduação de Angola ao estatuto de País Menos Avançado, em 2021, e à União Europeia pela implementação do programa de assistência técnica “Train for Trade II”, que tem como objectivo a melhoria das capacidades humanas e institucionais para a diversificação da economia nacional.
Durante a sua intervenção, a diplomata convidou os em-presários estrangeiros a participarem nos esforços de exploração dos abundantes recursos naturais do país, incluindo minerais, reservas florestais, pesca, terras férteis, água e potencial turístico.
O Fórum Mundial de In-vestimento é um evento bienal de alto nível organizado pela CNUCED e reúne representantes governamentais, de organizações intergovernamentais e não-governamentais, académicos e so-
ciedade civil.

Tempo

Multimédia