Política

Disponibilizado dinheiro para obras da centralidade

João Salvo | Saurimo

O presidente do Conselho de Administração da Imogestin, Rui Cruz, garantiu ontem, em Saurimo, a disponibilidade de verbas para dar impulso às obras de construção da centralidade de Saurimo, projectada para 212 moradias, entre apartamentos e vivendas.

Fotografia: DR

A execução das obras es-tava a decorrer a meio gás, por falta de pagamento da dívida à empreiteira contratada pela Imogestin.
Falando no final de uma visita de constatação ao projecto,  para avaliar o nível de execução física da empreitada, Rui Cruz disse que “questões de natureza burocrática condicionaram o pagamento pontual, em respeito às cláusulas do contrato, através de  uma linha de financiamento garantida pelo banco BAI”.
A partir de agora, garantiu, tudo está acautelado. O gestor expressou a confiança do pagamento pontual por parte do Ministério das Finanças.
O PCA da Imogestin enalteceu os esforços da empresa Griner, que com os próprios recursos  continuou com o trabalho, para garantir uma execução de 13 por cento, contra 65 projectados, um gesto que considerou de “boa fé”, enquanto aguardava pelo pagamento da dívida.
Os avanços dos trabalhos no projecto da centralidade de Saurimo, segundo Nilton Devesas, da empresa Griner, consistem na conclusão da rede para o escoamento das águas das chuvas e estacas em oito edifícios projectados.
Neste momento decorre o processo de betonagem das lajes do rés-do-chão em três edifícios e a conclusão das vigas de fundações de um outro edifício.       
O balanço da primeira fase do trabalho apresenta quatro edifícios de oito e quatro  andares cada, representando um total de 48 apartamentos. A segunda compreende o mesmo número de edifícios e  vivendas do tipo T3.
O projecto da centralidade, situado a cerca de quatro quilómetros da cidade de Saurimo, contempla a construção de 12 lojas, uma escola, centro de Saúde e outras infra-estruturas sociais.
Para o director do Gabinete Provincial das Infra-estruturas, Esmeraldino Pemessa, a visita do PCA da Imogestin gera motivação para o governo e o empreiteiro.

Tempo

Multimédia