Política

Eleições gerais são abordadas num encontro com angolanos

O embaixador de Angola na Itália, Florêncio de Almeida, disse sábado em Roma que as eleições gerais de 23 de Agosto marcaram uma viragem importante na consolidação da democracia no país.

Embaixador de Angola na Itália recebeu a comunidade
Fotografia: Edições Novembro

Ao explicar à comunidade angolana o processo eleitoral, o diplomata referiu que o mesmo foi uma verdadeira festa de democracia que culminou com a vitória do partido MPLA e do seu candidato, João Lourenço.
Florêncio de Almeida, que foi um dos observadores nacionais das eleições, fez uma retrospectiva das principais etapas do processo até à divulgação dos resultados definitivos pela Comissão Nacional Eleitoral. Na ocasião, foram distribuídos aos presentes cópias do Diário da Republica com o mapa oficial dos resultados das eleições gerais de 2017.
Florêncio de Almeida fez parte dos 149 diplomatas que trabalharam como observadores nacionais convidados pelo Ministério das Relações Exteriores, que consideraram o pleito eleitoral livre, justo e credível. O encontro terminou com um convívio ao som de música e culinária angolana.
De acordo com os resultados definitivos, o MPLA mantém a maioria qualificada na Assembleia Nacional, elegendo 150 deputados, menos 25 que nas eleições gerais de 2012. A UNITA, obteve 51 deputados, mais 19 que nas eleições passadas, enquanto a coligação CASA-CE manteve o terceiro lugar com 16 deputados, mais oito em relação ao exercício de há cinco anos.
O PRS, com dois deputados e a FNLA com um deputado completam o Parlamento, que, tal como o anterior, vai ser constituído por cinco formações políticas. A Aliança Patriótica Nacional (APN), de Quintino Moreira, a mais nova formação política criada em Agosto de 2015, não elegeu qualquer deputado, mas consegue sobreviver já que ultrapassou a barreira dos 0,5 por cento dos votos válidos e, de acordo com a lei, evita assim a extinção.

Tempo

Multimédia