Política

Ensinamento de Neto ajudou na libertação

André Brandão | Ndalatando

O vice-governador para sector Político e Social do Cuanza-Norte, José Kipungo, afirmou ontem em  Ndalatando que a capacidade de liderança de António Agostinho Neto contribuiu para a libertação de vários povos do continente.

António Agostinho Neto
Fotografia: Jaimagens | Edições Novembro

Discursando por ocasião do Dia do Herói Nacional, assinalado a 17 deste mês, José Kipungo considerou Agostinho Neto o exponente máximo da literatura angolana.
Apesar de Neto ter sofrido várias prisões de forma  arbitrária, nunca relegou os seus ideais para segundo plano, mesmo sob fortes torturas da polícia colonial portuguesa (PDG-DGS), lembrou José Kipungo, acrescentando que Agostinho Neto também nunca perdeu de vista o alcance dos seus objectivos, que era a conquista da independência Nacional e apoiar a luta de outros países de africanos, como a Namíbia, Zimbabue e África do Sul.
Sublinhou ainda que Agostinho Neto foi um homem dotado de dinamismo invulgar e grande capacidade de trabalho, salientando que até à data da sua morte participou de forma incansável na solução dos problemas do povo.

Tempo

Multimédia