Política

Estónia pede apoio de Angola

Garrido Fragoso | Viena

O Vice-Presidente da Re-pública discursa hoje, em Viena, Áustria, na abertura do Fórum de Alto Nível África-Europa sobre a cooperação na era digital, em representação do Chefe de Estado, João Lourenço.

Vice-Presidente da República discursa hoje na abertura do Fórum sobre nova era digital
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

O evento, a decorrer no Hotel Áustria Center, em Viena, enquadra-se nas recomendações da quinta cimeira de Chefes de Estado e de Gover-no da União Africana e União Europeia, realizada em Novembro do ano passado, em Abidjan, onde os líderes dos dois blocos reforçaram o compromisso de trabalhar juntos na criação de um quadro de cooperação com reciprocidade e benefícios, tendo em conta os progressos na inovação e digitalização.
A Áustria, que exerce a presidência rotativa do Conselho da União Europeia, e o Rwanda, que lidera a União Africana, decidiram realizar o fórum para promover a digitalização e a inovação entre os dois continentes, permitindo que nenhum  país destes blocos fique fora das transformações digitais em curso.
A comitiva do Vice-Presidente integra os secretários de Estado das Relações Exteriores, da Energia e Águas,  e das Telecomunicações, além de directores dos sectores de Economia, Finanças e Agricultura. Estes responsáveis participam, à margem do Fórum, nas  mesas-redondas que vão abordar vários temas relacionados com as respectivas áreas de acção.
A participação angolana no Fórum de Viena  conta ainda com entidades do sector empresarial, nomeadamente a Angola Cables, Sistec, Telecom, Laminin e Kepya.
A embaixadora de Angola na Áustria, Teodolinda Coelho, disse à imprensa que mais do que promover a digitalização e inovação no relacionamento entre os dois continentes, a ideia da realização do evento é sair um pouco das tradicionais áreas de cooperação entre os países dos dois continentes, como direitos humanos, boa governação e imigração.
Teodolinda Coelho, que também representa os interesses do país na Eslováquia, Eslovénia e Croácia, garante que os países africanos, particularmente Angola, podem colher, deste encontro, muitos subsídios e experiência dos europeus, cujos sistemas de digitalização e inovação são mais avançados.

Avaliação da cooperação

O Fórum decorre durante todo dia de hoje e em diferentes momentos. Antes da abertura da  sessão plenária, os líderes políticos vão reunir para apresentar os pontos de vista dos seus países em relação à cooperação actual e futura entre África e Europa, no campo da inovação e digitalização.
Os líderes vão ainda avaliar os benefícios e ganhos alcançados depois da última reunião África-União Europeia, realizada na capital etíope, Addis Abeba, e concluir se ainda há necessidade de se melhorar algumas áreas no relacionamento entre os dois continentes.
Os Chefes de Estado e de Governo devem igualmente analisar a forma de se melhorar o ambiente de negócios no continente africano,  para a captação de mais investimentos privados.
 O primeiro-ministro da Áustria, Sebastian Kurz, o Presidente do Rwanda e da União Africana, Paul Kaga-me, e os presidentes das  Comissões da União Europeia e Africana, Jean-Claude Jun-cker e Moussa Faki Mahamat, devem discursar na abertura do evento, para o qual estão confirmadas as presenças dos Presidentes do Egipto, Ghana, Guiné-Conacri, Quénia, Na-míbia, Maurícias e Togo.
À margem do Fórum, o Vice-Presidente da República vai manter encontros bilaterais com algumas entidades políticas, com destaque para os primeiros-ministros da Polónia e Finlândia.

Estónia pede apoio para o CS da ONU

A Estónia solicitou ontem, em Viena, Áustria, o apoio de Angola para garantir a candidatura a membro não- permanente do Conselho de Seguranca das Nações Unidas para 2020.
O pedido foi manifestado ao Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, pelo Primeiro-Ministro daquele país europeu, Juri Ratas, durante o encontro numa das unidades hoteleiras da capital austríaca.
Em declarações à im-prensa, no final do encontro, o secretário de Estado do Ministério das Relações Exteriores, Tete António, disse que a Estónia quer a experiência de Angola, por ter estado duas vezes como membro não-permanente do Conselho de Segurança.
A cooperação bilateral também foi abordada entre Bornito de Sousa e Juri Ratas.
A Estónia assinou, no ano passado, em Abidjan, Costa do Marfim, um memorando de entendimento com a União Africana, para o reforço da  cooperação com África.
Com Angola, a Estónia quer também reforçar a cooperação no domínio da digitalização da economia, tema de destaque na cimeira de Alto Nível, que decorre hoje em Viena.
O Primeiro-Ministro da Estónia  manifestou ainda o desejo de colaborar com Angola  na questão da defesa contra ataques cebernéticos.

Tempo

Multimédia