Política

EUA destacam credibilidade

Os Estados Unidos da América felicitaram o “povo angolano pelo exercício do seu direito democrático ao voto nas históricas eleições gerais de 23 de Agosto” e afirmam que aguardam “com expectativa para trabalhar com o Presidente eleito João Lourenço e o novo Parlamento da República de Angola para fortalecer ainda mais a nossa relação bilateral”.

Presidente eleito João Lourenço com o secretário da Defesa James Mattis durante a visita ao Pentágono
Fotografia: Embaixada dos EUA em Angola

“Elogiamos a Comissão Nacional Eleitoral de Angola por gerir um processo ordeiro e bem organizado. Reconhecemos também o papel importante desempenhado pelos partidos políticos de Angola e pelas organizações da sociedade civil nestas eleições”, lê-se na mensagem publicada no site oficial do Departamento de Estado e destacado, em português,  na página de Internet da Embaixada daquele país em Angola.
Na mensagem, os Estados Unidos saúdam igualmente “as declarações das missões de observação internacionais e domésticas atestando a credibilidade destas eleições. As inquietações levantadas por alguns partidos políticos e a sociedade civil acerca do acesso desigual aos órgãos de comunicação social devem ser abordadas antes de futuras eleições”.
“Os Estados Unidos estão ao lado do povo de Angola nos seu esforço para construir instituições fortes, democráticas e inclusivas, que se dediquem a garantir um futuro próspero e pacífico para todos os Angolanos”, sublinha o comunicado.

Mensagem de Portugal

O primeiro-ministro português, António Costa, felicitou, em carta enviada quinta-feira, a eleição de João Lourenço ao cargo de Presidente eleito de Angola e manifesta o empenho de Portugal no reforço das “relações fraternas” bilaterais.
Na mensagem, segundo a agência noticiosa Lusa, António Costa afirma “estar seguro” no que respeita à perspectiva de desenvolvimento das relações de amizade entre Portugal e Angola.
“Estou seguro que as relações fraternas entre os nossos países e os nossos povos, que estão profundamente ligados pela História, por uma língua comum e por vastos interesses partilhados, continuarão a estreitar-se”, refere o primeiro-ministro português. António Costa reitera ainda “o total empenho do governo de Portugal no aprofundamento dos laços de amizade e no reforço da cooperação nos diversos âmbitos de actuação bilateral e multilateral, em particular no seio da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP)”.
O governo português foi dos primeiros a saudar, há 15 dias, o povo e o governo de Angola pelas eleições gerais realizadas no país, manifestando total empenho em trabalhar com a nova liderança política. Nessa ocasião, o Ministério dos Negócios Estrangeiros dava conta, através de um comunicado, que “o governo português saúda o novo Presidente eleito da República de Angola”, assim como todos os deputados da Assembleia Nacional.
Também manifestava “total empenho” em trabalhar com a nova liderança política, no sentido de “continuar o aprofundamento das estreitas relações que unem Portugal e Angola” e a cooperação entre os dois Estados.

Mensagem de Kagame
O Presidente do Ruanda, Paul Kagame, felicitou na quarta-feira o Presidente da República eleito, João Lourenço, após a divulgação, pela Comissão Nacional Eleitoral, dos resultados definitivos das eleições gerais de 23 de Agosto que dão vitória ao candidato do MPLA.
“Por ocasião da sua eleição como Presidente da República de Angola, eu gostava de transmitir, em nome do Governo, do povo do Ruanda e no meu próprio nome, saudações cordiais, parabéns e melhores votos. Desejo-lhe, excelência, boa saúde, maior sucesso e prosperidade para o povo angolano”, lê-se na mensagem do Chefe do Estado ruandês.  Paul Kagame também manifestou na mensagem o compromisso de fortalecer ainda mais as relações amigáveis e a cooperação existente entre os dois países e povos.
O Presidente ruandês foi reeleito em Agosto para um terceiro mandato de sete anos, com cerca de 98 por cento dos votos. Paul Kagame lidera, sob mandato da União Africana (UA), uma comissão para a reforma da UA integrada por especialistas africanos como o guineense Carlos Lopes, antigo secretário executivo da ONU, Donald Kaberuka, ex-presidente do Banco Africano de Desenvolvimento, Strive Masiyiwa, empresário zimbabueano e Tito Mboweni, antigo governador do Reserve Bank da África do Sul.
Amina Mohammed, actual secretária-geral adjunta da ONU, Mariam Nour, Ministra da Economia, Planeamento e Cooperação Internacional do Chade, Cristina Duarte, antiga ministra cabo-verdiana das Finanças e Vera Songwe, directora regional para a África Ocidental e Central da International Finance Corporation, entidade filiada ao Banco Mundial, também integram a equipa de Paul Kagame.
O Presidente Eleito de Angola recebeu mensagens de felicitações de vários países do mundo, com destaque para as dos presidentes do Brasil, Michel Temer, Camarões, Paul Biya, Guiné-Bissau, José Mário Vaz, e do Botswana, Ian Khama Seretse Khama. Os Chefes de Estado manifestam disposição de trabalhar no sentido do fortalecimento da cooperação, ampliação da amizade fraterna dos países e da prosperidade e progresso entre os respectivos povos.

Presidente Eleito é empossado este mês
João Lourenço toma posse até ao dia 25 de Setembro. Confirmado quarta-feira pela Comissão Nacional Eleitoral (CNE), João Lourenço e o MPLA obtiveram  61,07 por cento de votos.
Com estes resultados, o MPLA consegue igualmente a maioria qualificada, ao obter 150 dos 220 deputados à Assembleia Nacional. Bornito de Sousa Baltasar Diogo também foi confirmado Vice-Presidente da República. O Presidente eleito de Angola, João Lourenço, tem 63 anos, é Mestre em Ciências Históricas e general de três estrelas na reserva. Casado com a economista Ana Dias Lourenço, antiga ministra do Planeamento, e pai de seis filhos, nasceu no município do Lobito, província de Benguela, em 5 de Março de 1954. Membro do Bureau Político do MPLA, João Lourenço foi nomeado ministro da Defesa Nacional em 2015.Foi presidente da Comissão Constitucional da Assembleia Nacional,  presidente da Comissão Constitucional, membro da Comissão Permanente, presidente do Grupo Parlamentar do MPLA e 1.º vice-presidente da Assembleia Nacional.

Tempo

Multimédia