Política

EUA e Sérvia no Bengo em exercício militar

A vila do Vale do Paraíso, no município do Dande, província do Bengo, acolhe desde ontem o primeiro exercício médico militar trilateral das forças Armada de Angola,  da Sérvia e dos Estados Unidos da América.

Médicos militares trocam experiências sobre endemias
Fotografia: José Soares | Edições Novembro

Em declarações à imprensa, o director do exercício, o brigadeiro médico Belchior da Silva, disse que as populações das localidades do Vale do Paraíso, Pambala e Cerâmica vão beneficiar de assistência médica e medicamento grátis com todas as especialidades.
Neste momento, os efectivos médicos militares dos três países desenvolvem actividades colectivas preventivas com especialistas nas áreas de pediatria, ortopedia, ginecologia, obstetrícia, oftalmologia, estomatologia e medicina geral.
Para garantir o sucesso do exercício médico, os militares médicos contam com o apoio do Ministério da Saúde, serviços de Protecção Civil e Bombeiros,  de Migração e Estrangeiros e da Polícia Nacional. No local estão colocados tendas equipadas para atender os pacientes, um carro móvel devidamente equipado com um bloco operatório, ambulâncias e uma unidade móvel de mamografia. O brigadeiro garantiu que a presente fase, sob o lema “Prontidão médica militar, para uma resposta efectiva”, é o resultado de uma planificação feita desde 2016, na qual resultaram em três conferências para que as acções fossem concretizadas no terreno. “Esta é a fase operacional do exercício que decorre depois de uma fase de treinamento e aprendizagem decorrida de 4 a 8 de Novembro e que teve como palco o Hospital Militar Principal, em Luanda”, indicou.
Belchior da Silva deu ainda a conhecer que, no final, o exercício médico militar conjunto e combinado entre Angola, Estados Unidos da América e Sérvia vai ser avaliado por especialistas da Hungria, África do Sul, Portugal, Costa do Marfim, Malawi e Botswana.
Por sua vez, o major-general Mark Bartiman, chefe da equipa norte-americana da Guarda de Ohio, afirmou que as tropas angolanas demonstraram, até ao momento, que estão aptas para grandes respostas. A delegação americana, disse, espera aprender e partilhar conhecimentos.

Tempo

Multimédia