Política

Ex-militares inseridos nos caminhos-de-ferro

André Brandão | Cambambe

A via ferroviária de Luanda/Malanje está a empregar alguns antigos militares, no quadro do processo de reintegração daquela franja da sociedade, anunciou na terça-feira, em Cambambe, Cuanza-Norte, o secretário de Estado para a Acção Social, Lúcio Gonçalves do Amaral.

Encontro analisou a contribuição dos antigos combatentes
Fotografia: Nilo Mateus | Edições Novembro | Ndalatando

Falando perante um grupo de ex-militares que beneficiou de kits de alfaiataria e construção civil, no âmbito do Programa do Governo de Reforço à Reintegração dos Ex-militares, o secretário de Estado para a Acção Social indicou que o desmobilizado que não estiver em condições de trabalhar pode indicar um elemento da família.
Lúcio Gonçalves do Amaral, que fez a entrega dos meios aos desmobilizados, informou que o Executivo não se esqueceu dos ex-militares. Apenas houve um período em que estas acções não foram desenvolvidas por vários factores relacionados com à crise financeira, explicou. Lúcio Gonçalves do Amaral aconselhou os beneficiários a solicitar um espaço à administração municipal de Cambambe para erguerem uma cooperativa de alfaiates, a fim de trabalharem com mais organização.
A vice-governadora do Cuanza-Norte para o sector Político e Social, Leonor Garibaldi, afirmou que os meios entregues vão reforçar e impulsionar a vida económica dos ex-Militares e das suas famílias. “O Governo vai continuar a implementar programas a favor dos desmobilizados”, garantiu.
O Instituto de Reintegra-ção Social dos Ex-Militares (IRSEM) no Cuanza-Norte assiste 3.981 ex-militares.
No município de Cam-bambe estão registados 585 desmobilizados.

Tempo

Multimédia