Política

Executivo reforça protecção aos antigos combatentes

Quinito Kanhameni | Namacunde Albino Hitototnanye

O ministro dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, João Ernesto dos Santos "Liberdade", anunciou ontem, no município de Namacunde, Cunene, que o Executivo vai, nos próximos dias, levar à Assembleia Nacional a aprovação da nova lei que visa redefinir e reforçar o regime de protecção especial reconhecido e reservado a todos que garantiram a defesa da soberania nacional.

Ministro dos Antigos Combatentes presidiu ao Acto Central
Fotografia: Nicolau Vasco | Edições Novembro

João Ernesto dos Santos “Liberdade”, que falava no acto central das comemorações do 15 de Março, Dia da Expansão da Luta de Libertação Nacional, referiu que o momento afigura-se como de reflexão “sobre a longa e gloriosa caminhada” de muito sacrifício durante vários anos de luta contra o colonialismo português, que culminou com a proclamação da Independência Nacional.
“Esta ocasião deve servir de ponto de referência comum para a exaltação de factos e efeitos históricos que constituem memórias colectivas do povo angolano e como fonte de inspiração para a educação patriótica, bem como a promoção dos valores cívico-morais da sociedade”, sublinhou o ministro. Segundo João Ernesto dos Santos “Liberdade”, os acontecimentos de 15 de Março de 1961, ocorridos na região Norte do país, fazem parte do rico acervo histórico e devem ser estudados e transmitidos com verdade para as futuras gerações. Todo o antigo combatente e veterano da Pátria, disse, goza de protecção especial, constituindo assim uma verdadeira garantia dos seus direitos económicos e sociais e um dever de honra do Estado angolano.
De acordo com o ministro, estão em curso várias acções que visam dignificar os assistidos, com destaque para o início, em breve, do processo de emissão e atribuição de cartões de identificação, por forma a conferir-lhes dignidade devida.
O governador do Cunene, Vigílio Tyova, disse que a data é de extrema importância e grande simbolismo, por marcar a resistência à ocupação colonial. Sob lema “15 de Março de 2019, Libertadores Unidos Angola Fortificada”, o acto central reservou a entrega de charruas aos antigos combatentes e veteranos da Pátria, familiares e viúvas.
O 15 de Março é considerado Data de Celebração Nacional. Marca a data em que milhares de camponeses na região Norte de Angola atacaram vilas e fazendas de colonos portugueses.

Tempo

Multimédia