Política

Falsos agentes de migração são detidos

O Serviço de Investigação Criminal (SIC) deteve três cidadãos, com idades compreendidas entre os 20 e 30 anos, que supostamente se faziam passar por efectivos do Serviço de Migração e Estrangeiros (SME), realizando as suas acções nos bairros da Maxinde e do Camatondo, em Malanje.

De acordo com o director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa da Delegação do Ministério do Interior, intendente Junqueira António, pesa também sobre os três indivíduos apresentados os crimes de homicídio qualificado e assaltos à mão armada em cantinas de estrangeiros, residências e na via pública.
O oficial disse que, em posse dos supostos marginais, foram encontradas armas de fogo do tipo AKM,  telemóveis, electrodomésticos, computadores portáteis, bens alimentares, roupas usadas, calçado e cartões de recarga.
O oficial precisou que os três indivíduos vão ser entregues ao Ministério Público para serem responsabilizados criminalmente.
Junqueira António exortou a população a continuar a colaborar com a Polícia Nacional na denúncia de malfeitores que perturbem os cidadãos na calada da noite.
Em Outubro, em Malanje, SIC deteve em Malanje o cidadão André João, que se fazia passar por agente do SME, anunciou o porta-voz do SIC, superintendente Lindo Ngola. O cidadão, de 39 anos, exibia uniforme e passe do SME e exercia ilegalmente actividades em diversos bairros, desde há mais de um ano, recebendo processos de indivíduos com a falsa garantia de enquadrá-los nos serviços de imigração. Lindo Ngola precisou que o cidadão em causa é reincidente e que, em 2015, tinha sido já detido por fazer-se passar por agente regulador de trânsito.
O porta-voz do SIC disse que o indivíduo foi entregue ao Ministério Público para os devidos efeitos de responsabilização criminal.

Tempo

Multimédia