Política

Força Aérea em manobras no Botswana

Um grupo de 72 militares da Força Aérea Nacional, chefiados pelo brigadeiro Lama Xavier, partiu ontem para o Botswana para participar em exercícios com efectivos da África do Sul, Lesoto, Malawi, Moçambique, Namíbia, Swazilândia, Tanzânia, Zâmbia e Zimbabwe.

Militares das FAA em manobras conjuntas
Fotografia: Rafael Tati

Os exercícios, que terminam no dia 31, subordinam-se ao lema “Por uma SADC Unida, Reforcemos a Segurança, Aperfeiçoando a Interoperabilidade e Capacidade de Condução de Operações Aéreas Combinadas”.
Os exercícios são uma operação combinada da componente aérea da SADC, de apoio humanitário com elementos de manutenção da paz que consiste na provisão real de agenda alimentar, assistência médica e social à população.
A cerimónia de despedida do efectivo, na Base Naval de Luanda, foi presidida pelo chefe do Estado Maior-General das Forças Armadas Angolanas, general de Exército Geraldo Sachipengo Nunda, que pediu disciplina aos elementos do grupo.
“Ao partirem deste base aérea que possuiu um simbolismo na nossa História militar recente, devem sentir-se intrínseca e umbilicalmente ligados às tradições combativas do nosso povo, profundamente inspirados nos seus valores e na sua cultura”, realçou. O chefe do Estado Maior-General das Forças Armadas Angolanas aconselhou-os a não perder de vista a imagem de Angola e o exemplo de coragem, determinação e sacrifício do povo, da Pátria e do Comandante-em-Chefe e Presidente da República, José Eduardo dos Santos.
“O comportamento e atitude deste contingente perante o trabalho, o chefe e os demais companheiros deve primar pela solidariedade e espírito de missão, virtudes nobres por excelência consubstanciadas na partilha de sentimentos e emoções nos bons e maus momentos”, declarou.
O general Geraldo Sachipengo Nunda pediu ao efectivo que respeite escrupulosamente os princípios e normas do país de destino, a cultura, as tradições e os costumes, bem como o apreço pelas pessoas e os bens.

Tempo

Multimédia