Política

General “Kianda” reúne com cadetes angolanos

O ministro da Defesa Nacional, general Salviano Sequeira “Kianda, tranquilizou os 128 cadetes angolanos que se encontram a frequentar cursos de oficiais na Escola Naval de Lisboa, garantindo-lhes que muitos dos problemas enfrentados vão ser resolvidos em breve.

Ministro da Defesa Nacional com os cadetes em Almada
Fotografia: DR

O general Salviano Sequeira “Kianda” reuniu-se, quarta-feira, em Almada, Portugal, com alguns dos 128 cadetes angolanos, no último dos três dias da visita oficial a Portugal, que teve como objectivo analisar e reforçar as relações entre os dois países na área da Defesa.
Os cadetes queixaram-se, fundamentalmente, de atraso no pagamento dos subsídios e de dificuldades de reinscrição, por parte de estudantes que, por uma ou outra razão, falharam a transposição de ano nos diferentes cursos.
O general “Kianda” exortou-os a concentrarem-se nos cursos que estão a frequentar, sublinhando o facto de o país ter apostado neles com a esperança de virem a ser os futuros oficiais superiores da Marinha de Guerra, um ramo das Forças Armadas que disse estar a ser visto de forma “muito positiva” pelo Governo.
No seu último dia de trabalho em Portugal, o ministro da Defesa visitou, de manhã, a Base Naval de Lisboa, a Base de Fuzileiros e a Escola Naval, onde se inteirou das capacidades da Marinha Portuguesa para o cumprimento de diversas missões operativas, como vigilância do espaço marítimo de diversos países, incluindo africanos, com destaque para São Tomé e Príncipe.
O general “Kianda” ouviu dos responsáveis da Marinha Portuguesa a disponibilidade para o reforço da cooperação com Angola, consubstanciado na presença de 128 cadetes a frequentar a escola de oficiais e com um assessor português a ajudar nalgumas missões da Marinha nacional. O general “Kianda” sublinhou a capacidade da Marinha Portuguesa cooperar com os três ramos das Forças Armadas Angolanas, considerando “muito positiva” a deslocação de três dias a Portugal.

Tempo

Multimédia