Política

General “Disciplina” quer militares patriotas

O Chefe do Estado-Maior General adjunto das Forças Armadas Angolanas para Educação Patriótica exortou, no Huambo, os efectivo das Forças Armadas Angolanas no sentido de revestirem-se de fidelidade e alto sentido patriótico, como forma de nunca traírem os interesses superiores da Nação.

Chefe do Estado-Maior General adjunto das Forças Armadas
Fotografia: Edições Novembro

O general Egídio de Sousa Santos “Disciplina” fez a exortação na abertura do 16º seminário metodológico dos órgãos de Educação Patriótica das FAA, que decorre até amanhã, sob o lema “Pelo reforço da organização e disciplina - revitalizemos o trabalho de educação patriótica das FAA”.
Aos militares lembrou que ao abandonarem a unidade onde estão colocados ou a farda a si atribuída por imperativo do compromisso assumido com à Pátria, cometem o acto de  deserção, susceptível de constituir crime militar. “O militar que age desta forma não é patriota e ignora o compromisso assumido com a defesa dos mais altos interesses da Nação", afirmou o general,  que criticou os indivíduos que facilitam a colocação dos militares desertores noutras unidades, sem a prévia anuência do comandante. O responsável militar orientou os órgãos de Educação Patriótica a trabalhar, de forma conjunta, com os de Educação Jurídica, para elevar os sentimentos de patriotismo, civismo, liberdade e de justiça.
O general considerou os órgãos de Educação Patriótica como "importantes ferramentas" para que o efectivo tenha um comportamento baseado no cumprimento da missão e estrita observância das normas e regulamentos militares.
“Queremos que oficiais, sargentos e praças compreendam a observância das normas da vida castrense que em nenhuma outra instituição social se podem exigir”, disse. Participam no seminário comandantes adjuntos para Educação Patriótica dos três ramos das FAA.

Tempo

Multimédia