Política

Governador manifesta confiança

Silvino Fortunato | Uíge

A província do Uíge conheceu, nos últimos anos, um crescimento acelerado, que permitiu melhorar significativamente as condições de vida da população, disse ontem o governador Pinda Simão, no informe à Comissão Económica do Conselho de Ministros, que decorreu na cidade do Uíge.

Governador Pinda Simão
Fotografia: António Capitão | Edições Novembro

Apesar dos avanços, acrescentou, há ainda muito por se fazer, reafirmando a determinação do governo local em continuar o processo de diversificação da economia, redução da burocracia  e promoção da agricultura, pecuária, empreendedorismo, exploração racional e sustentável da madeira, assim como tornar a província mais atractiva para o investimento e geração de postos de trabalho.
Segundo Pinda Simão, os sectores da Educação e da Saúde são os que mais beneficiaram de investimentos. O Ensino Superior funciona com três instituições, sendo duas públicas e uma privada. Apesar  da oferta de 33 cursos, disse Pinda Simão, a província carece dos cursos de Engenharia e de Medicina.

Sector da Saúde
 
O sector da Saúde, segundo Pinda Simão, deu também um passo importante. Pela primeira vez na história da província, há mais médicos nacionais do que expatriados.
Dos 122 médicos existentes, 87 são nacionais e 35 expatriados. Apesar deste indicador, segundo o governador, a província ainda carece de médicos e enfermeiros, mostrando-se ainda preocupado por não se ter instalado a fábrica de oxigénio, cujos equipamentos estão num contentor selado, desde 2014, devido à falta de pagamento.
O governador informou que a província está sem casos de cólera há mais de 45 dias. Para prevenir o ressurgimento da doença, estão em curso acções de sensibilização e desinfestação das cacimbas, abertura de furos de água e reabilitação e construção de pequenos sistemas de água.
Ainda assim, defendeu a construção de estações de tratamento e abastecimento de água nos municípios de Milunga, Cangola, Sanza Pombo, Bungo, Quitexe e Bembe, bem como reforçar a capacidade de distribuição em toda a província.

Tempo

Multimédia