Política

Governador orienta combate à ocupação ilegal de terrenos

O município de Viana enfrenta sérios problemas de ocupação e venda ilegal de terrenos que “devem ser combatidos de forma enérgica”, afirmou ontem o governador provincial de Luanda, Adriano Mendes de Carvalho.

Governador de Luanda pede empenho no trabalho
Fotografia: Maria Augusta | Ediçoes Novembro

Segundo o governador, que falava na cerimónia de apresentação do novo administrador municipal de Viana, André Soma, “muita gente ocupa e vende terrenos ilegalmente” naquela circunscrição, sobretudo na zona do Zango.
Adriano Mendes de Carvalho declarou que no Zango muitos espaços reservados para construção de equipamentos sociais, como campos de futebol, escolas e mercados, estão vendidos.
“ Está tudo passado para particulares e digo isso com propriedade, pois, quem an-dou a distribuir aquelas ca-sas em 2007/2008, fui eu, enquanto vice-governador de Luanda, e deixamos muitos largos que já não existem”, disse.
Na mesma senda, considerou que naquela altura bem podia também ter ocupado algum largo e posteriormente distribui-lo pelos seus filhos, mas não o fez devido ao compromisso com o respeito do bem comum.
“Se aparecer alguém em meu nome que tenha ocupado ou a ocupar terreno, o senhor administrador pode prendê-lo, pode encaminhá-lo às autoridades policiais”, declarou.
Condenou o egoísmo de certos cidadãos que chegam a ocupar vários hectares sem fazer nada nesses espaços. “A Centralidade do Quilómetro 44 deve ter cerca de 21 hectares e tem 2.548 apartamentos. Aqui mesmo, há pessoas que têm 20, 30, 100 hectares sem se saber para quê”, enfatizou.
Adriano Mendes de Carvalho adiantou que o Presidente da República quer ver uma Luanda mais “mexida”, a dar passos rumo ao desenvolvimento, daí ter solicitado a André Soma que comece imediatamente a trabalhar em prol do município e seus habitantes.
“ Peço-vos a todos que trabalhem com o povo, temos que ter uma governação de proximidade, devemos deixar os fatos e estar no terreno, pois mais vale ver uma vez a realidade do que te contarem mil vezes”, disse.
Apelou ao respeito e digni-dade no tratamento ao administrador cessante, cuja exoneração acontece num quadro normal de movimentação de quadros e não deve ser entendida como alguma forma de retaliação por algu-ma situação.
Entretanto, o novo administrador municipal de Viana, André Soma, disse estar ciente do quão difícil é administrar o município mais populoso do país, mas que espera desempenhar a nova função com êxito.
“ Nós aceitamos o desafio sabendo que para Deus nada é impossível. Vamos vencer”, frisou.
André Soma avançou que a sua gestão não estará centrada nas pessoas, mas nos seus erros.
“ Viemos aqui para trabalhar e o nosso compromisso é com o povo. Muita coisa boa foi feita e alguns erros serão corrigidos”, salientou na sua curta intervenção.
O governador de Luanda fez também apresentação pública da presidente da Comissão Administrativa de Luanda, Maria Antónia Ne-lumba, de Noivito Agostinho Pedro no município de Icolo e Bengo assim como de Njila de Carvalho no Talatona.

Tempo

Multimédia