Política

Governo amplia apoio para ex-combatentes

Valter Gomes|Uíge e Elautério Silipuleni|Ondjiva

O Governo provincial do Uíge vai ampliar os programas de apoio social aos antigos combatentes e veteranos da Pátria, garantiu terça-feira o governador Pinda Simão.

Antigos guerrilheiros pediram apoio em micro-créditos
Fotografia: Mavitidi Mulaza | Edições Novembro

A par disso, reforçou, as autoridades vão continuar com o processo de actualização e recadastramento dos pensionistas, bem como o recenseamento dos cidadãos abrangidos pela Lei dos antigos combatentes.
Ao responder às inquietações apresentadas por antigos combatentes e veteranos da Pátria, Pinda Simão afirmou que o Executivo tem vindo a tomar medidas para assistir e reintegrar em programas sócio-económicos os antigos combatentes e veteranos da Pátria.
Fruto disto, adiantou, no ano passado, na província do Uíge, foram cadastrados 4.553 pensionistas, foram reintegrados 2.507 assistidos e cedidos 285 micro–créditos. Ao ministério de tutela foram remetidos 4.968 novos processos que aguardam homologação.
Numa mensagem, os antigos combatentes, veteranos da Pátria e deficientes físi-cos de guerra na província do Uíge pediram a melhoria das condições de habitação, apoio social e aumento da pensão fixada actualmente em 23 mil kwanzas.
Pediram igualmente apoio em micro créditos para associações e cooperativas de antigos combatentes, cujo funcionamento tem sido débil por falta de máquinas de lavoura, técnicos, inputs e kits para o fomento da agricultura. 
No Cunene, os antigos combatentes apresentaram as mesmas inquietações, considerando "insignificante" a pensão que lhes é atribuída. No seu entender, a pensão que é concedida não satisfaz as necessidades familiares, daí a aflição constante, que leva muitos deles a mendigar.

Tempo

Multimédia