Política

Huambo recebe energia de Laúca

Fernando Cunha | Huambo

A província do Huambo vai contar nos próximos dias com mais 900 megawatts de energia, provenientes da Barragem de Laúca, que vão beneficiar mais de 400 mil famílias e permitir o arranque definitivo do processo industrial do Pólo da Caála.

Ministro inaugurou centrais
Fotografia: Esfraim Nunda| Edições Novembro

O ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, disse, durante uma visita de trabalho à subestação eléctrica do Belém do Huambo, que neste momento se observam os testes da energia proveniente da linha de Laúca. Segundo o ministro, a potência que a subestação já recebe da linha de Laúca vai permitir ainda levar energia às províncias do Bié e da Huíla.

“A Subestação do Belém do Dango, quando estiver definitivamente a funcionar, terá uma potência de 900 megawatts. É muita energia que vai permitir abastecer os municípios do Huambo, as províncias do Bié e da Huíla e colocar em funcionamento o Pólo Industrial da Caála”, disse.
Durante a sua visita à província do Huambo, o ministro João Baptista Borges inaugurou duas centrais eléctricas híbridas, sendo uma no município do Longonjo e outra no Londuimbali, com capacidade para gerar cinco megawatts de energia cada.
A entrada em funcionamento das centrais híbridas do Longonjo e do Londuimbali, disse, vai permitir que mais 24 mil famílias beneficiem de energia eléctrica naqueles municípios.
Os municípes de Longonjo e do Londuimbali manifestaram a sua satisfação com a entrada em funcionamento dos novos projectos energéticos, que, segundo o ministro, vão seguramente proporcionar a atracção de novos investimentos nos sectores da Agricultura, Pecuária e Indústria Transformadora.
Com um investimento global de 19 mil milhões e 200 milhões de kwanzas (o equivalente a 39 milhões e 212 mil dólares), os 10 megawatts produzidos pelas centrais híbridas do Longonjo e do Londuimbali vão atender aproximadamente 24 mil habitantes residentes nas vilas sedes de ambas as municipalidades.

Tempo

Multimédia