Política

Influência da diplomacia angolana em livro

Fonseca Bengui

A atitude política de Angola nos países vizinhos e a sua interacção com as organizações regionais africanas como a SADC, União Africana e Co-munidade Económica dos Estados África Central (CEEAC) é uma das questões analisadas pelo diplomata António Nascimento, num livro sobre a influência do país na região austral.

António Nascimento lança livro sobre diplomacia
Fotografia: Francisco Bernardo | Edições Novembro

Intitulado “Avaliação da influência da diplomacia angolana na África Austral”, o livro, a ser lançado amanhã, no Centro de Imprensa Aníbal de Melo, em Luanda, enfatiza o princípio da soberania estabelecido na Constituição, bem como os instrumentos jurídicos fundamentais e os objectivos estratégicos da base geral, a política externa de Angola.
A obra aborda ainda os conflitos no sul de África de 1975 a 2002 e os esforços diplomáticos angolanos que resultaram na assinatura de vários acordos para a conquista da paz, reconciliação nacional e a estabilidade regional.
Em declarações ao Jornal de Angola, António Nascimento disse que a obra é um contributo para a comunidade diplomática e os estudantes de Relações Internacionais.
Conselheiro de imprensa na representação de Angola junto dos Escritórios das Nações Unidas em Genebra, Suíça, depois de ter exercido as mesmas funções no Zimbabwe, Zambia, África do Sul, Reino Unido e Botswana, António Nascimento sublinha que Angola tem jogado um papel fundamental na região da SADC. Como exemplo, aponta o facto de muitos países da região consultarem Angola antes de tomarem qualquer decisão, bem como o papel que o país teve na resolução das crises políticas no Lesotho, Madagáscar e RDC.
Sobre a transição política operada em Angola, com a eleição de João Lourenço, António Nascimento disse que a mesma “é bem-vinda por parte da SADC”, sublinhando que “os líderes da região têm uma grande admiração pelo Presidente João Lourenço, por causa das medidas corajosas que está a tomar.”

Tempo

Multimédia