Política

Inspecção desafiada à gestão transparente

Edna Dala

O secretário de Estado para os Recursos Materiais e Infra-estruturas do Ministério da Defesa Nacional, Afonso Car-los Neto, defendeu ontem, em Luanda, práticas de gestão mais exigentes a nível dos órgãos da instituição e das Forças Armadas Angolanas.

Encontro metodológico analisou os desafios dos inspectores
Fotografia: Vigas da Purificação|Edições Novembro

Afonso Neto, que discursava na sessão de abertura da 3ª reunião metodológica dos órgãos de inspecção do sector da Defesa Nacional, sublinhou que a observação deste “grande desafio” vai garantir o uso cada vez mais racional dos bens colocados à disposição do Ministério da Defesa Nacional e das FAA.

Durante o encontro, que acontece sob o lema “Por uma inspecção proactiva e credível aprimoremos os nossos co-nhecimentos”, o responsável destacou que, para um serviço inspectivo proactivo, é crucial que os órgãos da Inspecção incluam nos seus planos de actividades acções proactivas ou preventivas.
O secretário de Estado de-fendeu igualmente a necessidade de prestar-se maior atenção à formação de quadros, condições sociais e de trabalho, que considerou factores incontornáveis para se alcançar um elevado nível de motivação e empenho nas actividades dos inspectores. />Afonso Neto sustentou ainda que os bons resultados requerem quadros disciplinados, munidos de conhecimentos e motivados para acção. O responsável indicou ainda que a reunião, além de produzir as conclusões finais, deverá assumir o compromisso de preparar normas de execução permanente que padronizem a todos os níveis os procedimentos operacionais, visando deste modo a uniformização dos actos inspectivos.
A reunião vai, igualmente, preparar as indicações metodológicas do inspector-geral de Defesa Nacional, para o planeamento das actividades dos órgãos de inspecção.
Participaram na abertura do encontro a inspectora-geral adjunta de Administração do Estado, Rosa Micolo, o juiz conselheiro do Tribunal de Contas, Caetano Baião, o comandante do Exército, Gouveia João de Sá Miranda, o inspector-geral da Defesa Nacional, Marques Correia “Banza”, e inspectores da Polícia Nacional e do Ministério do Interior.

 

 

Tempo

Multimédia