Política

Instituições públicas obrigadas a comunicar as acções do Estado

O ministro de Estado e chefe da Casa Civil do Presidente da República afirmou ontem, em Luanda, que as instituições públicas devem garantir uma informação eficaz e oportuna, para que os cidadãos tenham a noção correcta das acções do Estado.

Ministro Frederico Cardoso
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

Frederico Cardoso falava, ontem, na abertura da reunião metodológica sobre “Comunicação institucional e articulação com a imprensa pública”, promovida pelo Ministério da Comunicação Social, no auditório do Centro de Imprensa Aníbal de Melo.
O ministro de Estado disse que, para as instituições e organizações da Administração Pública, a comunicação, mais do que uma opção, constitui uma obrigação.
“A Administração Pública deve comunicar de modo transparente, esclarecer oportunamente, de maneira que os seus planos, programas e projectos sejam internamente compreendidos e publicamente sufragados”, disse. Frederico Cardoso afirmou que, nesta fase de evolução tecnológica, os cidadãos estão cada vez mais informados e exigem uma boa governação, boa conduta ética dos agentes públicos, maior transparência na gestão, prestação periódica de contas, melhor qualida-de dos bens produzidos e dos serviços prestados pela Administração Pública, bem como maior participação na tomada de decisões sobre os assuntos públicos. “Nos dias de hoje, tanto as instituições públicas como as empresas, as famílias e as pessoas estão mais expostas ao juízo da opinião pública”, disse, sublinhando que devido à evolução tecnológica, a mensagem, verdadeira ou falsa, passa de modo directo e instantâneo.
O ministro de Estado su-blinhou que a evolução tecnológica eliminou as barreiras geográficas, as pirâmides hierárquicas, os fusos horários e os travões dos tradicionais gate keepers, e que as redes sociais hoje são um extraordinário meio de ex-pressão de quem se proponha comunicar por boas ou más intenções.
Frederico Cardoso disse que, diante desta situação, as instituições gestoras da comunicação institucional do Estado devem comunicar bem o que o Executivo, a Ad-ministração Pública e o Estado, no geral, estão a fazer.
O ministro de Estado disse que, entre os vários desafios que a comunicação institucional das instituições públicas enfrentam com base em estudos científicos apresentados em vários países, destacam-se a dificuldade de obter informação, desinformação e pouca ou nenhuma informação sobre certos e importantes temas de interesse público.
Entre outras, apontou ain-da como dificuldade o uso da linguagem pouca clara, a lentidão da máquina burocrática na resposta aos problemas colocados pelos cidadãos e a falta de articulação entre instituições.

Tempo

Multimédia