Política

Isaías Samakuva apela à tolerância política

Domingos Calucipa |

O presidente da UNITA e candidato a Presidente da República nas eleições de 23 de Agosto, Isaías Samakuva, apelou aos militantes do seu partido a adoptarem uma boa convivência com os apoiantes de outras formações políticas, na base do respeito ao direito de manifestação e de livre escolha partidária.

Candidato da UNITA a Presidente da República interagiu com os militantes do Cunene
Fotografia: Contreiras Pipas | Edições Novembro

Isaías Samakuva, que falava num comício no sábado, em Ondjiva, capital da província do Cunene, disse que nenhum militante, seja de que “cor partidária” for, deve impedir outro a manifestar-se ou exprimir a sua orientação de voto.
 O cabeça de lista da UNITA lembrou que as eleições estão muito próximas e é a partir de agora que os eleitores são chamados a fazerem o balanço do desempenho do Governo que está a cessar o seu mandato. “É neste momento que devemos fazer a avaliação final do Governo saído das eleições passadas e ver se o que prometeu ao povo cumpriu ou não”, sublinhou Isaias Samakuva.
 O líder da UNITA, que criticou o limite de idade para o ingresso na função pública, o elevado desemprego, a falta de medicamentos nos hospitais e ainda a falta de água no meio rural, principalmente na província do Cunene, apontou como linhas mestras do seu partido, caso vença as eleições, a disponibilização de verbas suficientes para a saúde e para a seca constante da região sul.
O presidente da UNITA referiu que o seu partido dá prioridade à saúde, à água para as populações em toda a extensão do país, à promoção de um ensino de qualidade, à criação de empregos, à exploração dos recursos naturais para a geração de riqueza e  fixação do salário mínimo nacional quatro vezes superior ao actual, entre outras prioridades. “Mas, para isso, se efectivar é necessário que no dia 23 de Agosto votem no número 1”, apelou.
Isaias Samakuva enalteceu o trabalho desenvolvido pelo malogrado governador da província, António Didalelua, virado para a água, energia, estradas e educação. “O Didalelua tinha muitas ideias para tirar o povo do Cunene do sofrimento. Ele dizia, sobretudo, que o subsolo da província tinha bastante água que, com bons programas, resolveria de uma vez por todas as preocupações das populações nesta vertente”, lembrou.
No Cunene, o líder do maior partido na oposição visitou a localidade fronteiriça de Santa Clara, onde constatou o movimento migratório e as novas infra-estruturas das Alfândegas. Em Ondjiva, além do comício que visou o contacto com os militantes e a apresentação dos principais eixos de governação do seu partido, Isaías Samakuva manteve encontros com o bispo católico da Diocese de Ondjiva, D. Pio Hipunhati, e com o governador do Cunene, Kundi Paihama.
Sábado último, o líder da UNITA apelou aos militantes do partido  e cidadãos em geral da  cidade de Ondjiva, sede capital da província do Cunene, para participarem nas eleições gerais. 
O político, que falava  num encontro com os militantes para apresentar o programa de governação e o manifesto eleitoral. Isaías Samakuva  disse ser importante que todos participem nestas eleições, votando no partido que melhor programa apresentar e no seu candidato.
A UNITA, disse, é defensora da democracia, de um sistema de mudança e da criação de condições que contribuam para o bem-estar da população de todo país, e para tal pretende, caso vença as eleições, criar condições que visam a melhoria da vida dos angolanos.O político apelou  aos militantes a participarem nas eleições de forma organizada e disciplinada, pautando sempre pelo clima de harmonia e paz , num ambiente de tolerância entre os angolanos para que as eleições sejam transformadas numa verdadeira festa.

Tempo

Multimédia