Política

Japão apoia desminagem

O Japão vai apoiar o processo de desminagem em Angola até 2025, ano estimado pelo Governo angolano como meta para acabar com os engenhos explosivos no território nacional.

Embaixador Hironori Sawada esteve no Moxico
Fotografia: Paulo Mulaza | Edições Novembro


A garantia foi dada, quinta-feira, na comuna de Luvuei (Moxico), pelo embaixador daquele país acreditado em Angola, Hironori Sawada.
De acordo com o diplomata, o Japão já financiou cerca de 13 milhões de dólares em 24 projectos diferentes no país.
O processo de desminagem em Angola pode continuar a contar com o apoio do Japão, garantiu o embaixador Hironori Sawada.
O diplomata assegurou o apoio japonês no acto de assinatura do documento de conclusão da limpeza e entrega de 63.930 metros quadrados de terra desminada pelo Grupo Consultor de Minas (MAG).
O embaixador anunciou que aquele país pretende, em breve, apoiar os projectos agrícolas existentes na província do Moxico, além do sector da desminagem.
O espaço agora livre de minas circunda o bairro Nhapassa, arredores da sede comunal do Luvuei, 253 quilómetros a sul da cidade do Luena. Na referida área, foram removidas e destruídas 41 minas anti-pessoal, três anti-tanque e um uxos, engenhos explosivos não detonados.
O trabalho de desminagem da área foi realizado no período compreendido entre Junho de 2018 e Julho do ano em curso, tendo a administração local erguido no espaço um mercado com mais de 60 lugares.
A directora nacional do Grupo Consultor de Minas, Jeanette Dykstra, enalteceu o empenho dos técnicos na limpeza da área.
O chefe de ligação e informação da Comissão Nacional Interministerial de Desminagem e Ajuda Humanitária (CNIDAH), Chile Chicanha, indicou que foram identificadas 238 zonas com minas nos municípios do Moxico (sede), Bundas, Alto Zambeze e Luacano, estando a necessitar de apoio logístico, técnico e de transporte para a sua intervenção.

Tempo

Multimédia